5 hábitos para trazer mais felicidade e ânimo para o seu dia-a-dia

Há um ano atrás, mais ou menos, eu escrevi um texto aqui no blog falando sobre a psicologia positiva e sobre como a gente pode instalar alguns “hábitos da felicidade” para tornar a nossa existência mais feliz, leve, gostosa e estimulante. E nossa mãe, como esse texto fez sucesso, te dizer. Não esperava que tantas pessoas fossem curtir ler sobre um assunto assim tão desconectado da organização e da produtividade.

Mas é aquilo, né: geral quer ser feliz.

E esse aqui, como diz a nota de rodapé lá embaixo, é um santuário virtual para quem quer viver melhor.

O texto de hoje vai ser sobre um tipo bem específico e simples de felicidade: a diária. Aquela que a gente sente entra dia, sai dia, ao longo das semanas normais e comuns dos meses igualmente normais e comuns.

Os hábitos citados aqui são sugestões para vocês comporem um dia-a-dia mediano mais feliz, satisfatório e engrandecedor do que o atual – hábitos conscientes, vale dizer, que vão deixar a semana média de qualquer pessoa mais agradável e estimulante. Porque (e esse é o verdadeiro pulo do gato dessa discussão) todas aquelas “grande metas” que a gente tem – grandiosas, incríveis e maravilhosas – acabam perdendo os seus brilhos eventualmente. É clichê, mas é também a mais pura verdade: se você depender de alugar uma casa, mudar de emprego ou ganhar uma promoção para realmente ser feliz, tenha cuidado.

Esses objetivos obviamente vão te trazer imensas doses de felicidade, quando atingidos.

Mas e depois? Qual vai ser a base de uma vida bem vivida pra você?

De que forma o seu estilo de vida (aquele conjunto de hábitos e costumes mínimos que você faz todo santo dia, toda santa semana) vai sustentar o seu espírito e o seu ânimo de viver? Estar vivo é uma experiência magnífica, meu povo – que, até onde nos consta, acontece apenas uma vez. Uma única vez dentro das circunstâncias atuais que te cerca, pelo menos. A sua chance de ajudar a sua comunidade, a sua família, os seus amigos, de exercer uma profissão que realmente te preencha e que te capacite a viver todos os seus potenciais, toda a sua criatividade e todos os seus dons aumenta para cacete quando você está feliz.

Feliz de verdade, é claro, e não só de fachada.

Não só porque você conquistou aquela super meta do ano.

Para 365 dias mais felizes, autênticos e realmente proveitosos, siga em frente.

 
 
 aproveita pra salvar essa imagem aí no Pinterest para se lembrar dessas ideias legais depois. <3

aproveita pra salvar essa imagem aí no Pinterest para se lembrar dessas ideias legais depois. <3

 
 

Crie um tempo para brincar, se distrair e aprender um pouco mais

Eis um paradoxo deliciosamente gostoso da organização: quanto mais você tem um controle básico e eficiente das suas tarefas, horários e compromissos, mais você consegue arrumar o tempo da sua rotina ao seu bel prazer. A ideia de bloquear uma parte da semana para “brincar e se divertir” parece avessa à ideia de ter uma rotina semanal organizada, à princípio, mas não se engane, pequeno gafanhoto.

Planejar a sua semana com antecedência é tão importante quanto ficar sem fazer nada.

E você, acima de todas as pessoas, precisa zelar pela parte “não estruturada” e “não controlada” da sua semana. Nem tudo é trabalho, vale dizer. Nem tudo é trabalho remunerado, compromissos com parentes e burocracias chatas para resolver. Pegue o seu calendário de parede ou a sua agenda virtual e bloqueie pelo menos um período de um dia (manhã, tarde ou noite) para ser o seu dia de brincar. Adultos também brincam, obviamente. Quais são os passatempos que você adorava, super curtia, mas que não tem tido mais vez e nem peso na sua rotina da semana? Qual é a sua forma de relaxar mais exuberante?

O importante é que esse tempo seja para você e que você viva ele do jeito que mais te inspira.

Eu, pelo menos, adoro brincar de organização. Encontrar novos aplicativos, ver tutoriais e resenhas, adicionar as minhas tarefas em um novo ambiente, testar, experimentar, comparar as vantagens e as desvantagens entre dois aplicativos diferentes. Amo, de verdade. Ler, com clareza mental e atenção, também é outro passatempo que eu amo. Leituras boas, teóricas, não-fictícias e também poesia, romances e histórias fantasiosas e mágicas que enchem o meu coração de alegria. Fazer essas coisas me faz tão tão bem, meu povo! E para viver essa emoção no meu dia-a-dia eu preciso estar com energia e disposição.

Ler por meia hora antes de dormir não é o suficiente para mim, por exemplo. Use esse texto como motivação para se lembrar das brincadeiras que te estimulavam e guarde um tempo real para elas.

 

Se movimente e se divirta, de preferência ao mesmo tempo

Impossível fugir do amargo fato: seres humanos não foram fisicamente feitos para ficar sentados de oito a dez horas por dia. Você já cansou de ouvir e de ler isso, certamente, e eu sou a última pessoa do mundo que vai tentar te convencer que ir na academia três ou quatro vezes por semana é algo super daora.

Verdade seja dita, eu sou uma pessoa sedentária que adora os confortos do mundo moderno.

É difícil, mas é inegável: a gente realmente se sente melhor quando estamos nos movimentando. Ter um pouco de atividades físicas que chacoalhem o seu lindo corpinho por pelo menos alguns minutos por dia já vai fazer uma puta diferença no seu organismo, na sua noite de sono, no seu humor, nos seus hormônios e na sua resistência às adversidades. Se você me perguntar, a melhor dica que eu te dou é essa: encontre algo que seja realmente divertido para você. Principalmente se você é como eu.

Comece a experimentar diferentes atividades e exercícios que o seu bairro oferece, por exemplo Pode ser andar de bicicleta, ir a algumas aulas experimentais de dança, de luta, de pilates, de hidroginástica. Pode ser fazer uma escalada, fazer uma trilha ou comprar um curso online.

O que quer que te tire de cima da sua bunda por uma pequena parte do dia já serve. Se movimentar um pouco é melhor do que nada. E se você se divertir enquanto faz isso, a vitória está certa. A sua felicidade diária, naqueles dias comuns em que nada de especial acontece, com certeza vai aumentar com o tempo.

 

Qual irritação ou problema você pode resolver ou minimizar?

Conquistar novos objetivos e galgar alguns degraus a mais na escada da nossa vida são comportamentos que com certeza nos estimulam e nos empurram para fora da nossa zona de conforto. Não existe nada de errado com isso, à princípio. Mas imagine o quão incrível seria se você mudasse essa chave.

E ao invés de sempre se concentrar na sua próxima grande meta, parasse para pensar um pouco nas coisas ruins, chatas, problemáticas ou irritantes que andam acontecendo no seu dia e na sua semana – e em saídas estratégicas e possíveis para diminuir essa irritação ou resolver esse sofrimento.

É claro que isso não significa que você vai erradicar tudo o que te trás dor ou desconforto da noite para o dia, obviamente. Crescer na vida e evoluir internamente exigem momentos desconfortáveis sim. Mas a gente pode acabar ficando pilhado demais nos “grandes objetivos” e acabar nos esquecendo dessa atitude saudável de ser um cientista da nossa própria vida e exercitar a nossa capacidade de solucionar problemas.

Até porque, é aquilo: a sua vida merece ser fácil. O sofrimento já faz parte do pacote – então para que sofrer mais ainda, sem necessidade? Faça uma pausa, pegue uma caneta e liste pelo menos cinco ou seis perturbações chatas que mais estão te deixando sem paciência, sem humor e com mais irritação. Escolha uma delas e faça da eliminação dessa pequena merda o seu objetivo da semana. Peça a ajuda de algum amigo, anote todas as alternativas que te vierem à cabeça e deixe a solução ir marinando por aí.

 

De vez em quando, faça uma grande pausa na sua rotina

Eu não quis escrever as palavras “férias” ou “viagens” no título desse hábito para não criar a (injusta) associação que você só pode relaxar, descansar e aproveitar a vida quando você está de folga no trabalho ou gastando muitos dinheiro em uma super viagem hiper planejada. Essas opções são ótimas, é óbvio, mas o espírito da coisa é bem mais simples do que isso. De vez em quando, antes de você completar um ano inteiro trabalhando sem nenhuma pausa, faça uma na sua rotina. Eu já fui bem culpada disso, é verdade.

Para que esconder de vocês?

Durante os dois primeiros anos do Eu Organizado (2016-2018) eu trabalhei praticamente todas as semanas do ano. Não rolou nenhum “recesso” ou “férias”, no sentido clássico dos termos. No meio desse ano (2018), por ocasião da minha mudança para Portugal, eu realmente me dei algumas semanas com uma carga bem mínima de trabalho e, na melhor das minhas habilidades, relaxei e me curti um pouco.

Mas ainda é um aprendizado para mim.

Fazendo coro ao eterno conselho “faça o que eu digo, não faça o que eu faço”, eu reforço esse pedido justamente porque eu sei a diferença que uma pausa pode fazer no nosso dia-a-dia, de tempos em tempos.

Você não precisa esperar dezembro para descansar, tampouco esperar alguma doença ou resfriado paralisante te acometer para realmente pegar mais leve no trabalho. Pelo menos uma vez por mês (ou algumas vezes a cada seis ou quatro meses, pode ser) se dê alguns dias sem trabalho, por menores que sejam. Para respirar outros ares, retomar o contato com amigos afastados, comer em um lugar diferente e deixar a sua mente respirar novas inspirações e se banhar no ócio criativo.

Isso vai ajudar muito, inclusive, a sua performance no trabalho.

 

Priorize interações em 3D com pessoas reais, diariamente

E aqui, é claro, cada um vai vestir a carapuça que melhor servir. Para alguns, introvertidos da minha nação (como eu), o desafio de dizer “oi” para as pessoas que já costumam cruzar o seu caminho é mais do que suficiente. Para outros, naturalmente mais extrovertidos e que vivem numa comunidade bem grande, a proposta pode ser reservar mais tempo durante a semana para ter um contato verdadeiro com as pessoas que acabaram saindo da sua rotina ou se afastando de você. De um jeito ou de outro, todo mundo pode usar mais interações humanas verdadeiras e calorosas, meu povo, seja do jeito que for.

Eu sei que, para mim, sair da internet e interagir com humanos na vida real, em 3D, é um desafio.

Conhecer pessoas novas – ou, ainda, aprofundar as relações com colegas que já fazem parte da minha vida, no mundo real – é algo que eu preciso fazer conscientemente, de propósito. Espontaneamente apenas não rola com tanta frequência assim. Mas te dizer? É maravilhoso quando acontece. Como pessoa introvertida, e um cado tímida, eu preciso descansar e me recompor longe das pessoas para realmente encher o meu tanque de energia. Mas a sensação de me conectar de verdade com outro ser humano (que, frequentemente, tem uma experiência de vida e opiniões totalmente diferentes das minhas) é uma das coisas que mais me trazem satisfação e felicidade ao longo do dia, de verdade.

De que forma você pode melhorar a ponte que você faz com as pessoas da sua vida? Com qual pessoa você nunca conversou, ou nunca deu uma chance de se aproximar de verdade – por medo, preconceito ou apenas falta de tempo? Com qual antigo amigo ou amiga de colégio cê pode sair pra tomar um café? As conexões que a gente faz com quem importa pra gente são as pérolas mais eternas que a gente tira dessa vida, meu povo. Não subestime o tempo investido nessas pessoas. Ele vale muito à pena.


 

PRA CONTINUAR APRENDENDO, COLA NUM DESSES TEXTOS AI Ó. SÓ TEM IDEIA BOA: