Como criar metas e identificar as suas prioridades com a roda da vida

Descobrir quais são as suas prioridades verdadeiras e traçar um bom plano para tirar as suas metas do papel é um combo de habilidades bem difícil, verdade seja dita. Se você também se angustia com isso e está cansado de dar com a cabeça na parede: fica frio. Esse texto aqui vai clarear um bocado as coisas.

Eu estou para falar da roda da vida faz um bom tempo aqui no blog. Dei vários detalhes sobre ela na live que fiz no Instagram lá no mês de maio, mas eu precisava dar uma pausa na programação e tirar um tempo para realmente conversar com vocês sobre esse maravilhoso exercício.

Antes de tudo: consciência.

Esse é o principal, primordial e todo poderoso objetivo de fazer esse exercício. Quais são as áreas da sua vida que mais merecem atenção nesse momento? Aonde você vai colocar o melhor da sua energia, tempo, recursos e paciência? Para onde você quer ir com a sua vida?

Perguntas fortes que exigem respostas igualmente corajosas e esclarecidas, minha gente. Eu vivo dizendo – e se você é novo por aqui pode ficar preparado para ouvir várias vezes: saber para onde queremos ir é es-sen-ci-al para chegarmos lá.

E se você não parar de vez em quando para analisar a sua rota, ver em qual caminho está e entender exatamente quais são os seus objetivos de vida, a verdade é uma só: você não vai chegar a lugar nenhum. E acredite, não é isso que eu quero para você. 💜

Em segundo lugar: liberdade e escolha.

A beleza e a mágica da roda da vida é que ela serve como um tapete voador. A partir do momento em que você entende o que é importante para você e em quais áreas da vida você quer avançar, o céu é o limite.

Bem ou mal, a gente sempre corre o risco de viver cercado e amarrado pelas expectativas alheias e pelas ideias do que a nossa sociedade acha que a gente deveria fazer. Mas quantas vezes você pensa no que você realmente quer fazer?

Espero que muitas.

Mas se você tem dificuldade de pensar em você mesmo, esse exercício vai ser uma boa mudança de rotina. Porque outra coisa que eu vivo dizendo é que a gente tem muito mais chances de se arrepender pelas coisas que a gente deixou para lá do que pelas coisas que a gente fez de fato.

É clichê, mas é profundamente real.

Claro, claro: tudo tem o seu limite. Às vezes a gente precisa mesmo fazer sacrifícios. Mas todo mundo tem nem que seja um pouquinho de livre arbítrio. Aquele pedaço de tempo, de vida e de energia que a gente pode colocar aonde bem entender.

E essa liberdade, por menor que seja, pode fazer toda a diferença do mundo. 👌

 
 

O que é a roda da vida tradicional?

Para quem não sabe se isso é de comer ou de passar na cara, explico que esse é um exercício de autoconhecimento que te permite entender quais são as suas áreas de foco atuais. Você analisa o que anda acontecendo em cada pequena parte da sua vida, dá uma nota para o seu nível de satisfação com ela e traça planos e metas para cada uma dessas áreas.

As dez áreas da vida são: casa e ambiente, lazer, finanças, saúde e bem estar, relacionamentos, vida profissional, espiritualidade, contribuição e voluntariado, vida social e desenvolvimento pessoal.

Dependendo da fonte que você encontrar essas aéreas podem ser um pouco diferentes. Mas depois de ver muitos modelos, eu elegi essas dez áreas como principais porque acho que elas abarcam e definem bem a vida como um todo. Não deixam nada de fora e cobrem todas as possibilidades.

E aí acontece assim: em uma folha de papel você desenha um círculo bem grande e vai criando linhas para dividir esse círculo, como se fossem dez pequenas fatias de pizza. A ideia é que você pinte essas fatias de acordo com a nota que você vai dar para aquela área.

Se a sua área de lazer está indo de vento em poupa, você pinta toda a fatia dessa área e isso significa que ela levou nota 10. O oposto acontece quando você está bem insatisfeito com as coisas que andam acontecendo naquela parte da sua vida e, consequentemente, essa fatia estaria com muita pouca cor.

Ou pelo menos é assim que a maioria das pessoas faz. Como você já vai ver, eu faço ele um pouco diferente. Pegue um papel e caneta e vamos começar. 🙆

 

Como fazer a sua roda da vida

A bagunça começa quando a gente dá de cara com essas dez áreas da vida.

Antes mesmo de você começar a fazer o exercício, raciocine: como é a minha relação com essa área? Eu tenho algum trauma, calcanhar de Aquiles, grande conquista ou ótima lembrança nessa parte da minha vida?

Como os seus pais costumam ou costumavam lidar com a saúde, o lazer, a vida social e os relacionamentos amorosos? Como que as pessoas que te criaram interagiam com os seus respectivos trabalhos? O que rolou na sua adolescência em relação à espiritualidade ou à vida financeira?

A gente precisa saber aonde está se metendo, em primeiro lugar.

Todos nós temos traumas, limitações e crenças já cristalizadas. Todos nós já conquistamos alguma coisa, todo nós temos facilidades naturais. Olhar para as suas dez áreas da vida e entender a sua opinião sobre elas, o que aconteceu naquele aspecto da vida até agora e como você geralmente lida com aquilo é super importante. Afinal de contas, nada na sua vida acontece no vácuo.

O seu meio ambiente, a sua infância e as pessoas que convivem com você podem afetar bastante as suas próprias opiniões e atitudes.

Depois, dê uma nota para o seu nível de satisfação com essa área atualmente. Depois de tudo o que você acabou de analisar, o quão satisfeito e feliz você está com conjuntura atual das coisas?

Como anda a sua área de lazer, de vida social e do trabalho? Quais são os desafios e as vitórias que você conquistou nessas dez aéreas nos últimos meses? Você acabou de passar por algum grande marco de vida em alguma delas? A vida te jogou uma batata quente no colo em algum desses aspectos?

Agora você vai olhar apenas para o presente e identificar as áreas ativas e as inativas. Faça isso antes de seguir com o exercício e vá classificando, mentalmente ou no papel, quais dessas áreas estão em movimento hoje em dia e quais estão paradas.

Sem edições, sem julgamentos.

Dê uma nota de 0 a 3 se você estiver profunda e irrevogavelmente infeliz e chateado com a forma como as coisas andam acontecendo nessa área específica. Notas super baixas são perfeitas para demonstrar que você está quase puxando os cabelos de pura raiva, tristeza ou frustração.

Dê de 4 a 6 caso essa área esteja mais ou menos boa. Não fede nem cheira e essas notas são ideias para demonstrar que essa área não anda lá essas coisas, mas você poderia muito bem sustentar essa situação por alguns meses. Existe insatisfação, mas ela não é muito profunda.

Dê de 7 a 10 para as áreas da vida que estão rolando exatamente da forma como você queria que elas rolassem. Sabe quando nós realmente conseguimos conquistar os nossos objetivos e ir atrás do que queremos? Essa é a nota que representa bem isso. Áreas com notas altas são aquelas que, por você, poderiam continuar da forma como estão por vários anos.

A terceira parte do exercício é uma das mais importantes. 

Depois de dar as notas, você vai escolher quais dessas áreas vão receber o seu foco, a sua dedicação e o seu amor total durante o próximo mês.

As suas áreas de foco principais e de prioridade máxima vão mudar na mesma frequência em que você fizer esse exercício. Se você fizer isso todo mês, pode ser que a cada trinta dias a sua área de foco principal mude. Quanto mais tempo se passar entre uma roda da vida e outra, maior é a probalidade das suas áreas mais importantes mudarem também.

E ó, dica de amiga: escolha no máximo duas área da vida para se concentrar.

No máximo dos máximos, três – mas com certeza não mais do que isso. Esse pulo do gato é essencial de entender. Se você disser que quatro, cinco ou seis áreas são o seu foco principal, você está se enganando.

É humanamente impossível fazer progressos significativos quando o nosso foco está dividido entre várias coisas bem diferentes. E se você quiser realmente avançar com a sua vida em uma certa área, isso necessariamente significa que as outras vão precisar ficar na espera por um tempo.

Afinal, você não pode fazer de tudo o tempo todo.

Às vezes é difícil aceitar isso – acredite, eu sei– , mas quando você sente na pele o seu avanço e começa a ver as coisas acontecerem, tudo fica mais fácil e você abraça essa realidade com muito mais carinho.

Por último, faça uma lista de todas as metas que você quer alcançar em cada uma dessas áreas da vida nos próximos meses ou no próximo ano.

A quantidade de metas que você criar também vai depender profundamente da frequência com a qual você vai fazer esse exercício. Se você quer fazer uma nova roda da vida todo mês, pense em metas menores ou pequenas tarefas ou projetos que você quer conquistar nos próximos trinta dias.

Mas se você fizer apenas duas rodas da vida por ano, fique livre para incluir metas e objetivos mais robustos e complexos. Essa parte depende totalmente de você.

Essa lista pode ter metas, tarefas ou projetos pequenos, médios ou grandes. Recomendo que você faça isso sem limites ou condições e apenas deixe fluir e anote quais coisas você quer que sejam verdade na sua vida até a próxima vez em que você fizer esse exercício.

O que você quer tenha acontecido (algo que você possa controlar, é claro) na sua área do voluntariado ou no seu ambiente antes da sua próxima roda da vida? O que você quer fazer acontecer na sua aérea de finanças até a próxima vez?

Ter tarefas e metas para todas as dez áreas da sua vida é ótimo, mas você ainda assim precisa escolher quais são as suas áreas de prioridade máxima.

Não tem nenhum problema ter metas para todas as aéreas se você souber claramente para onde devem ir a sua atenção e o seu foco. As suas áreas de prioridade máxima provavelmente vão ter mais metas e tarefas para serem cumpridas do que as demais. Ou seja: dê o braço para o bom senso, mas não se limite.

 

 

Por favor, tatue isso na sua testa

Vamos lá. Uma das coisas mais básicas que você precisa ter em mente quando fizer o exercício da roda da vida é aceitar a sua realidade tal qual ela é. E isso acontece numa via de mão dupla.

Por um lado, você precisa aceitar as coisas que não estão indo de acordo com os planos. Isso engloba as emergências e os desastres naturais da vida (doenças, desemprego, fim de relacionamento, dívidas e etc.) e as coisas que a gente queria muito ter conseguido mas não conseguiu.

Eu sei que é difícil, de verdade.

Mas o absolutíssimo primeiro passo para você começar a dar a volta por cima é aceitar que nem sempre você vai receber do universo exatamente o que você queria. E às vezes, quem sabe, pode até ser presenteado com uma surpresa desagradável ou com um cavalo de Tróia.

Por outro lado, aceite de coração as coisas que você realmente quer e faça o máximo de força possível para não se encaixar nos moldes que outras pessoas criaram.

Ao olhar para as áreas da sua vida, busque dentro da sua caixola o que você de fato gostaria que acontecesse nelas e se concentre nisso, seja lá o que for. Uma vida inteira agindo de acordo com a opinião alheia é o caminho mais rápido e garantido para uma velhice bem amarga.

Se você não tem religião, não acredita em nenhum deus e não quer fazer nada sobre a área da espiritualidade, ótimo. Se você quer ter um namorado ou uma namorada e isso está dentro das suas prioridades para a área de relacionamentos, perfeito.

Quem é que vai te impedir?

Eu não posso reforçar isso o suficiente, meu povo. ⛔️ ⚠️

Esteja atento às suas vontades verdadeiras e aceite as áreas da sua vida tal qual elas estão. Se você não anda contribuindo com a sociedade e não faz nenhum trabalho voluntário, tudo bem. Você gostaria de fazer algum?

Se sim, esse é o seu direito e ninguém vai te tirar ele. Mas se não, tudo bem também.

Se você é do tipo que trabalha demais e sua para conseguir ter uma hora de lazer por semana e acha que assim está bom, quem sou eu pra dizer o contrário? Mas se você quer mais é cair nas festas e curtir o mundo antes de realmente fazer progressos profissionais, tudo bem também.

Se você não viver a sua verdade tal qual ela se apresenta agora, evoluir e crescer vai ser bem mais difícil. E negar as suas vontades profundas e os seus anseios verdadeiros nem sempre significa ter mais maturidade.

Adoce tudo isso que eu disse com uma pitada de bom senso e lembre-se que é claro que você não pode simplesmente dar as costas para as suas responsabilidades e fazer tudo o que quer. Mas acho que você entendeu o que eu quis dizer. 😌

 

O lado escuro da roda da vida

Um último lembrete super importante que, com frequência, vive sendo varrido para debaixo do tapete: nem tudo na vida é trabalho e dinheiro.

As minhas áreas principais de foco atualmente são a profissional e a financeira, sim – e tudo bem se as suas também forem. Mas pelo amor de tudo o que há de bom no Universo: não esqueça do seu lado vulnerável.

Não dê as costas para o lazer, para o desenvolvimento pessoal, para a espiritualidade ou para os relacionamentos. Essas áreas costumam receber os restos das outras e muita gente pensa nelas como sendo menos importantes. Elas são, de fato, mais sutis.

E justamente por isso a gente pode ficar perdido na hora de criar metas para elas. Mas difícil não é impossível. Se o seu casamento merece atenção, pense qual nova realidade você gostaria de criar. Talvez você precise conversar mais com o seu parceiro, talvez precise lavar um pouco de roupa suja ou, quem sabe, só criar novos programas divertidos para vocês fazerem sozinhos.

Se você não está satisfeito com a sua realidade atual na área do lazer, pense fora caixa e vá atrás de ideias baratas e gostosas para inserir um pouco mais de descanso e alegria na sua rotina.

Não é porque aquela área é impopular ou não dá retorno financeiro que você deveria deixá-la de lado. E não é porque ela é muito sutil ou muito mundana que você deveria se contentar com pouca coisa.

Todo mundo precisa aceitar a sua posição espiritual. Muitos de nós querem se conectar com algo maior do que nós mesmos. Todo mundo precisa conviver com outras pessoas, passear por aí e se fazer ser visto. Todo mundo precisa transar, todo mundo precisa se relacionar, todo mundo precisa se divertir e cuidar de si mesmo. 🌟

Aceite o que quer que esteja acontecendo nessas áreas da sua vida no momento presente, mas saiba que elas podem (e merecem) ter tantas metas e projetos quanto as outras. A vida não acontece numa nota só.

 

Concluindo

A roda da vida é absolutamente perfeita para ser feita naqueles momentos em que a vida tá confusa e embolada. Pelo menos de dois em dois meses eu faria esse exercício, se fosse você.

Lembre-se dos pontos que eu ressaltei e vá sem medo de ser feliz. É assim que a gente tira os projetos do papel e vai, aos poucos, construindo o futuro que a gente quer ver acontecer de verdade.

Se você já conhecia esse exercício, me conte aí o que ele te trouxe de bom até hoje. Se não, me conte de qualquer forma! Quero trocar ideias e aprofundar a nossa conversa aí embaixo, gente linda!


🐞 CURTIU? AQUI TEM + IDEIAS BACANAS PARECIDAS, Ó: