Como criar uma rotina matinal autêntica em 2 passos

Como toda e boa febre da internet, a coisa começa geralmente na moita. Um artigo sobre isso aqui, outro acolá. Quase ninguém nota à princípio, mas, com o passar dos meses, vai ficando cada vez mais difícil ignorar a fascinação coletiva.

E sim, eu sei que fazer um texto sobre algo super popular só faz a fascinação aumentar, mas eu quero defender um ponto de vista diferente da maioria.

Para que estejamos na mesma página, aviso que esse texto é sobre uma imensa e importantíssima diferença que a gente precisa reforçar quando estivermos pensando na nossa rotina matinal.

O que, por sua vez, é só uma expressão chic para se referir às coisas que você faz todo santo dia de manhã: escovar dentes, pegar o celular, arrumar a cama, tomar café, etc. Eu quero desmistificar algumas coisas que andam sendo ditas à rodo por aí, reforçar os princípios universais da rotina matinal e explicar para que ela realmente serve e o que ela pode fazer por você.

Isso porque, é claro: eu adoro ser mais produtiva. Adoro deixar a rotina cada mais vez autêntica e com cada vez menos desperdício e hábitos contraditórios que, depois, vão me dar um tiro no pé. Se esse também é o seu caso, cola comigo. ✌️

 
 

Para que serve uma rotina matinal?

Dizendo de forma bem pouco glamurosa, a sua rotina matinal é a sequência de coisas que você faz de todo dia manhã. Simples assim.

Algumas pessoas são tão impulsivas e têm horários tão aleatórios para cumprir que elas até podem ter rotinas matinais bem diferentes entre si ao longo da semana, mas a verdade é que todo o ser humano no planeta acaba criando algum tipo de rotina.

Antes de tudo, uma rotina matinal dá segurança e estrutura pra sua semana. É a mesma diferença entre ter um armário abarrotado, cheio de roupas, cabides super apertados, coisas de frio e de calor todas juntas e ter um guarda-roupa que siga alguma lógica estratégica.

Quando a gente para, pensa, planeja e organiza as coisas logicamente, o nosso amanhã vai ser muito mais fácil, confia em mim.

Quanto mais impulsivo você for, quanto imprevisível for a sua rotina e quanto mais pontas soltas e projetos você precisa dar conta, mais você vai se beneficiar de ter uma rotina matinal bem definida.

Ela vai te dar a estrutura necessária no meio do caos e vai ser um porto de segurança e de estabilidade no qual você pode se agarrar. Já sabendo exatamente o que você vai fazer todos os dias de manhã (tirando, é claro, aqueles dias em que a vida acontece e nenhuma organização do mundo impede que os imprevistos aconteçam) você vai poupar muito tempo, energia, tranquilidade, paciência e talvez até dinheiro.

E se você já tem um dia-a-dia mais previsível e já for uma pessoa naturalmente cautelosa e que planeja bastante antes de agir, a rotina matinal vai potencializar ainda mais todas as suas qualidades.

Você vai poupar preciosos minutos e vai usar o seu reservatório de atenção e foco com muito mais parcimônia e respeito. É tipo assim: uma pessoa que guarda dinheiro já vai naturalmente ter mais condições financeiras de ter uma boa aposentadoria. Mas quanto mais você aprende a gastar o seu dinheiro nas coisas certas, melhor.

A mesma coisa acontece com o seu tempo.

E a segunda grande vantagem em criar uma rotina matinal é praticar o hábito (tão lindo e tão comum de ser deixado de lado) de estar presente. Um rotina nada mais é do que um ritual que a gente pratica todos os dias. Como ir à um casamento, à um velório ou assistir à uma formatura.

A gente se veste tão bem para as ocasiões especiais e as pessoas gastam tanto dinheiro e energia fazendo festas incríveis – porque o nosso dia-a-dia não merece essa mesma atenção? Só porque ele acontece sempre?

A sua vida é muito preciosa, meu bem! ✨ 🌷

Num dia você está comendo ovos no café da manhã, lendo a notícia política mais bizarra e terrível no jornal (alô 2017!) e reclamando do tempo e no outro você está no hospital. A verdade nua e crua é que não existe garantia de nada desse mundo.

Faz parte do show e esse é um dos motivos pelos quais a nossa vida é tão especial. Mas se você está vivo, respirando, cercado de algumas pessoas que te adoram e com o mínimo de condições para ir atrás dos seus sonhos, pra que desperdiçar isso?

Um ritual é uma sequência estruturada de ações que tem um propósito bem claro. As coisas que você vai fazer todos os dias de manhã são as mesmas, mas você vai estar sempre presente – e não se deixando levar pela maré daquele dia. Por fora você está fazendo tudo igual.

Mas por dentro você está de olhos abertos.

Vivo, consciente, prestando atenção, raciocinando e tentando levar a sua vida para onde você quer. Todos os nossos dias merecem ser especiais. E se você pensa que momentos ordinários não são valiosos, pense de novo.

Se você pudesse ter um vale presente para retirar na loja o seu dia ideal, como ele seria? Pense nisso pra valer, registre as suas respostas e vá descobrindo o que te daria alegria, tranquilidade e animação. Depois pense: quais dessas coisas eu posso fazer já agora? Algumas das suas ideias só vão ser possíveis se você ganhar na loteria, é claro. Mas várias outras só dependem de você para acontecer.

 

Qual é o seu relógio biológico?

Eu já falei disso em alguns outros textos, mas quando o assunto é rotina matinal nunca é demais repetir: cada um tem o seu próprio relógio biológico e acordar cedo ou madrugar nem sempre é a resposta.

De modo geral, é apenas lógico dizer que se você acordar um pouco mais cedo, vai ter mais tempo livre para adiantar as suas tarefas. Esse princípio se aplica e pode realmente beneficiar mais da metade de todas as pessoas do mundo, mas isso não é uma regra. O mundo gira envolta de quem acorda cedo, sim.

Quase todos os trabalhos normais começam às 8h e quem produz melhor de noite vai ficar para sempre um pouco desajustado da sociedade, sim.

Mas existem formas de reverter isso. E eu te juro (jamais mentiria pra você, cê sabe disso) que descobrir o meu relógio biológico verdadeiro foi a coisa que mais fez diferença na minha rotina. Muito mais do que aplicar uma ou duas técnicas específicas, entender o quadro geral de como eu funciono me fez adotar as diretrizes certas para o meu caso sem nunca abrir mão da flexibilidade.

Eu sempre fui o tipo de pessoa que tinha dificuldade para acordar de manhã e, durante a adolescência e até há uns três ou dois anos atrás, eu vivia acordando e dormindo bem tarde. E eu achava que era um fato da vida que eu tinha que aceitar.

Mas sabe quando você sente que colocou uma blusa muito menor do que o seu tamanho real? E você fica desconfortável, apertado e incomodado? Era exatamente assim que eu me sentia. Eu não era produtiva de manhã, acordava super cansada várias vezes (mesmo tendo dormido por nove ou dez horas) e ia dormir tarde sem fazer nada de especial ou específico.

Aí eu descobri o teste do cronotipo (para ver ele em português, clique aqui) e o livro O Poder do Quando. O Dr. Michael Breus é um médico especializado em sono e criou uma teoria incrível demais sobre os quatro tipos básicos de relógios biológicos que existem nas pessoas. Eu fiz o teste original em inglês, descobri quais eram os meus melhores horários e me esforcei para criar a minha rotina em volta deles.

A mudança foi da água para o vinho. Depois de alterar a minha hora de dormir, acordar às sete horas foi ficando cada vez mais fácil e natural. O que me leva, é claro, ao ponto mais importante desse texto. ⚠️

 

Os dois tipos de rotina matinal

A vontade de escrever esse texto surgiu depois de eu ler o centésimo artigo na internet que pregava a mesma coisa: encha a sua manhã com várias pequenas tarefas antes de realmente cair de cabeça no trabalho.

Não, gente. Eu entendo perfeitamente de onde surgiu essa tendência e reconheço que ela realmente funciona para muitas pessoas. Mas eu preciso deixar registrado que isso não funciona para todo mundo.

Esse tipo de rotina é como comer pelas beiradas: você não se joga de cabeça nos seus trabalhos mais difíceis. Se essa opção for a melhor para o seu caso, você vai se sentir muito mais alerta e produtivo se você for fazendo aos poucos algumas tarefas que vão te deixando no clima.

Acordar, arrumar a cama, tomar banho ou lavar o rosto, tomar ou não um café da manhã, passar um tempo conversando com as pessoas da sua casa, entrar no sites para ver as últimas notícias, ouvir algumas músicas no Spotify, lavar a louça da noite anterior, ver os vídeos mais recentes do Youtube, ler um pouquinho, meditar, fazer um exercício físico bacana, escrever no seu diário e, aí sim, começar a trabalhar.

Isso realmente funciona para algumas pessoas.

O bacana desse modelo, antes de tudo, é que ele te dá um tempo para você se preparar para o trabalho pesado. Se você tiver uma tendência fortíssima de procrastinar (e para entender mais sobre esse assunto e saber qual tipo de procrastinador você é, venha ler esse texto aqui) esse modelo de rotina matinal pode ser maravilhoso. Antes mesmo de começar a atacar as tarefas mais difíceis você já vai ter cumprido uma doze coisas diferentes - isso é ótimo!

Outra grande vantagem é que ele aumenta a sua confiança e a sua produtividade, te dando aquele quentinho gostoso no coração que você começou o dia com o pé direito e que agora nada mais vai te impedir de ter uma manhã super produtiva.

Isso é ótimo também!

Sem falar que algumas pessoas não conseguem raciocinar e focar nas tarefas assim que acordam, simples assim. Elas acordam frias e precisam ir se aquecendo aos poucos. Mas repito: essa não é uma regra universal.

Vamos me pegar de exemplo: lembra que eu falei que eu era o tipo de pessoa que detestava acordar cedo? Naquela época, se eu tivesse seguido essa forma de rotina matinal eu com toda a certeza ia achar que ela era a melhor para mim. E provavelmente seria mesmo.

Muitas pessoas recomendam que você faça exercícios físicos de manhã, por exemplo. Especialmente aquelas pessoas que dizem ter dificuldade de sair da cama e que sentem sono demais. Sabe o que ia acontecer comigo se eu fizesse isso?

Eu ia enfiar o pé na jaca, profunda e completamente. Ia ser uma morte lenta e amarga e eu não ia conseguir fazer mais nada ao longo do dia. O meu horário dourado, mais produtivo e cheio de energia é justamente de manhã. Unindo isso ao fato de que eu ainda sou uma pessoa sedentária, eu simplesmente ia ficar cansada demais e não ia conseguir produzir.

Mudar o horário em que eu durmo resolveu muito mais o meu sono excessivo de manhã do que se eu tivesse colocado várias atividades exigentes e cansativas para fazer assim que acordasse.

O outro grande tipo de rotina matinal é aquela que parte do princípio que você faz o seu melhor trabalho se você atacar ele de cara, sem perder tempo com outras coisas antes. Se você aplicar a sua finita e preciosa energia nas coisas mais importantes logo cedo, você vai desperdiçá-la menos em coisas periféricas.

As pessoas que mais se adequam à esse tipo de rotina sua aquelas que ficam cada vez mais cansadas conforme elas vão fazendo mais coisas.

Acordar, arrumar a cama, abrir a janela, escovar os dentes e lavar o rosto, tomar um copo de água com um comprido de cúrcuma, trocar de roupa e colocar a roupa do trabalho, ligar o computador, ouvir algumas músicas, checar o meu email e algumas coisas do Eu Organizado, revisar a minha lista de tarefas e agenda do dia, fazer um copo delicioso de proteína de chocolate ou um capuccino funcional de proteína e cair dentro da tarefa mais difícil do dia: essa é a minha rotina matinal. 🙋

Eu gasto uns 50 ou 60 minutos com essa rotina e, geralmente, uma hora depois de eu ter levantado da cama eu já estou trabalhando.

Para algumas pessoas essa rotina pode ser até longa demais, e tudo bem. Mas ela ainda é curta e direta ao ponto. Eu não leio, não medito, não faço nenhum exercício físico, não passo tempo demais nas redes sociais e nem interajo com as pessoas da minha casa. Tomo um café da manhã rápido e fácil de fazer e não consumo nenhum conteúdo ou conhecimento antes de começar a criar as minhas próprias coisas.

As poucas ações que eu realmente faço são especiais e existem por um motivo.

Eu deliberei sobre elas e as escolhi a dedo.

Trocar de roupa é absurdamente importante para mim, por exemplo, tendo em vista que eu trabalho em casa dentro do meu próprio quarto. Eu preciso fazer o meu corpo entender que agora é hora de ação – e arrumar a cama logo, lavar o rosto e ficar minimamente bonita e arrumada (como se eu realmente fosse sair pra trabalhar) faz muita diferença.

Deixar passar meia hora entre ligar o computador e realmente começar trabalhar também me ajuda. É um bom tempo para ver algumas novidades, terminar de acordar e bater o martelo sobre qual vai ser o foco primordial daquela manhã.

Resumo da ópera: teste as duas rotinas e veja qual é a melhor para você.

E para pensar mais sobre essa questão, veja esse vídeo incrível (em inglês) do Tom Frank, um moço simpático que fala sobre produtividade pessoal e estudos:

 
 
 

Concluindo

A gente não precisa tentar ser igual à todo mundo, meu povo. As rotinas matinais são excelentes coisas para existir na sua vida, mas elas provavelmente não vão ser o pivô de todo o seu sucesso, enriquecimento e tranquilidade eterna.

Descobrir como funciona o seu relógio biológico e qual dos tipos básicos de rotina matinal funciona bem para você são coisas essenciais para que você otimize o seu tempo, gaste melhor os seus recursos e desperdice menos paciência e energia.

Você já tinha parado para pensar nesses assuntos? Sabe qual é o melhor tipo de rotina para você? Comente aí embaixo e vamos aprofundar essa discussão e dar exemplos úteis para os colegas!


 🌤 CURTIU? AQUI TEM + IDEIAS BACANAS PARECIDAS, Ó: