Hábitos para um dia incrível: infográfico

Uma das palavras chaves mais importantes para esse ano: “hábitos”.

Quando fiz um planejamento esboçando como eu gostaria que fosse o ano de 2016, incluí alguns objetivos que envolviam mudanças de hábitos. Parar de dormir tão tarde, passar a acordar mais cedo, me alimentar melhor, fazer exercícios e todas aquelas promessas inocentes que a gente geralmente faz perto do ano novo.

Como você pode ter deduzido, não tem sido assim tão fácil. Alterar a elaborada rede de costumes do cérebro e do corpo é trabalhoso. Bem mais trabalhoso do que dizer "amanhã eu começo a acordar mais cedo, sem falta”. Como diz aquele inteligentíssimo ditado: falar é fácil, meu bem.

Mas conforme eu fui estudando, comparando, testando e aprendendo a ciência que existe por trás disso tudo, confirmei: todos nós deveríamos mesmo fazer uma forcinha para melhorarmos os nossos hábitos. Não é só blá blá blá de livro de auto ajuda que quer vender, não.

É ciência, é humano.

Os hábitos estão em absolutamente todos os lugares. Dê uma olhada rápida em toda a sua rotina e perceba o quanto dela é feita de costumes: hora de dormir, de acordar, o que você faz assim que acorda, como é a sua alimentação, o quão bem você cuida de você mesmo e dos outros. Largar hábitos nocivos (ou indiferentes) significa dar espaço para hábitos melhores.

Trocar certos comportamentos ruins por outros - mais saudáveis, prósperos & criativos - é como terminar um relacionamento sem amor que não está mais indo a lugar nenhum: difícil e complexo, mas que vai te permitir crescer e evoluir ainda mais.

O infográfico abaixo mostra os hábitos que mais tem funcionado para mim nos últimos meses. Nem sempre consigo fazer isso tudo isso todos os dias, mas a força de vontade é a última que morre, minha gente.

Comente lá embaixo se você tem algum hábito secreto & legal que deixa o dia-a-dia mais fácil e gostoso. Vamos trocar ideias! :)

 
 
dia-mais-incrível
 
 

Quer aprender mais sobre organização?

 
 

😜 CURTIU? AQUI TEM + IDEIAS BACANAS PARECIDAS, Ó: