kit básico para conquistar as suas metas do ano

Ao longo desses anos, confesso que tenho pegado um ranço da palavra “metas”. Vejo muitas pessoas jogarem essa palavra à torto e à direito acoplando à ela e ao seu discurso uma atitude de comandante rígido e tirânico que não ajuda em nada a bandeira que eu tento levantar por aqui: que se organizar e se estruturar para materializar a vida que mais combina com você pode ser um processo leve sim.

Mas chega de falar das outras pessoas – um parágrafo é mais do o suficiente para isso.

Todo mundo que fala de organização pessoal, planejamento de vida e produtividade diária trás um vislumbre ou uma nuance que enriquece bastante a discussão universal sobre o tema. E é precisamente isso que eu quero te trazer com esse texto de hoje. Nos últimos anos, aqui por dentro, eu parei de usar a palavra meta.

Eu trato as minhas vontades apenas em termos de prioridade.

Quais são as coisas básicas que você pode fazer já hoje, já agora, para pegar os seus sonhos & ambições & desejos e colocar eles para se moverem na prática? Como escolher uma ou duas dentre tantas prioridades? Como pegar uma ideia ainda abstrata e materializar ela na prática em 3D do seu dia-a-dia?

Sente a bunda confortavelmente aí, pegue uma bebida pra acompanhar e vá rolando a tela pra baixo.

 

QUAIS SÃO AS SUAS PRIORIDADES MÁXIMAS?

O primeiro passo nesse caminho não precisa ser assustador, volumoso ou te deixar com a sensação que o ar vai acabar. Eu já falei e repeti para cacete nesse blog que a gente precisa, antes de tudo, cultivar o nosso poder de discernir. Ter foco na vida, afinal de contas, nada mais é do que criar uma sequência de prioridades: saber o que é o mais importante para você agora e estar sempre fazendo essa avaliação interna para mudar de prioridades, renegociar os acordos e alterar as suas metas quando for necessário.

Você não precisa ser uma pessoa “super produtiva” para ter foco.

Você só precisa se conectar com o que você quer hoje.

Para cumprir esse primeiro passo, você só precisa daquele simples companheiro chamado caderno – ou uma folha em branco no Word ou uma nota no Evernote se você jogar pro time da organização digital (toca aí! o/). Escreva na primeira folha desse papel a data de hoje e em seguida resuma, em duas ou três frases, quais são as suas duas grandes prioridades atuais. Não precisa ser muito específico aqui, se não der.

A ação estratégica detalhada chega daqui a pouco.

Pense nas próximas 2, 3 ou 4 semanas da sua vida. Pense no próximo mês ou nos próximos dez dias. Quais as iniciativas, mudanças, projetos ou correções mais importantes que você quer materializar? Que não dá pra você fazer tudo ao mesmo a gente sabe – e eu espero que você também.

A ideia aqui não é, tampouco, construir uma imagem perfeita da sua vida ideal, listando todos os quinze hábitos super saudáveis e descolados que você sempre quis fazer. A ideia é colocar todas as patinhas no chão e ouvir com ouvidos de quem se escuta as verdadeiras prioridades que o seu coração está te sussurrando.

Passe tanto tempo aqui quanto precisar. Quando estiver pronto, vá pro item aí abaixo.

 

COMO ESSAS METAS VÃO VIR PRO MUNDO?

Depois de decidir qual parte da sua vida, novo hábito ou projeto vai receber o melhor da sua atenção pelas próximas semanas, vem a hora de você decidir exatamente como você vai fazer para chegar lá.

E para isso, meu amigo, nada melhor que um mapa mental.

Eis o dois melhores sites que eu recomendo pra fazer isso virtualmente: MindMeister + Coggle.

Se você torce pro time do papel & caneta, pegue uma folha grande, deixe ela na horizontal e escreva bem no centro uma forma resumida da sua prioridade. Depois, se pergunte: o que eu preciso fazer para que isso aconteça da forma mais plena & fácil & tranquila possível? Quem te disse que a gente precisa sofrer e ralar muito pra conseguir o que a gente quer é um puta mentiroso. O que não quer dizer, é claro, que não haverão imprevistos desagradáveis no seu caminho – óbvio que haverão. Mas até agora, por enquanto, o capitão ou capitã do seu navio é você. Pense sempre, então, na rota mais favorável & gostosa pra você navegar.

Deixe que as dificuldades e trapalhadas e sacanagens alheias apareçam mais pra frente (risos).

Voltando às perguntas que você vai se fazer: de que forma você gostaria que essa prioridade viesse à vida hoje? Existe algum passo-a-passo obrigatório na forma que você precisa cumprir essa meta? Existem escolhas que você pode tomar que vão moldar a sua escolha específica de como trilhar esse caminho?

Para cada coisa que você precisa fazer para cumprir a sua meta você cria um galho.

Puxe setas a partir do centro da folha, indo para as laterais ou para as bordas, e em cada seta escreva uma das coisas que você precisa fazer (o que precisa existir) para a sua prioridade ser fielmente cumprida.

Pergunta bônus para ganhar nota 10: qual é o seu resultado desejado dessa sua meta?

Ou seja: o que é que vai existir no mundo, de um jeito palpável e visível, quando essa prioridade estiver totalmente realizada? Escreva a resposta, pinte a resposta, crie um quadro no Pinterest que ilustre a realidade que você está procurando. A gente trabalha aqui com dicas práticas & com vibrações sutis das energias que o Universo pode ler para trazer para você exatamente o que você procura. Se nada nem nada, pelo menos você ganha ainda mais clareza do que você quer no meio desse exercício.

 

LISTA DE TAREFAS E AGENDA FTW

Vamos descer, agora, dessa imensa montanha chamada Filosofia das Metas & Prioridades de Vida e vir meter os pés nas areias branquinhas da Praia da Vida Prática e Real. Para conquistar as suas metas e viver as suas prioridades com plenitude, recomendo para todo o iniciante o uso moderado e consciente de duas grandes & basilares ferramentas da organização: uma lista de tarefas simples e uma agenda confiável.

Vou aqui explicar o que significa “simples” e “confiável” nesse contexto.

Olhando para o seu mapa mental, cê com certeza identifica algumas coisas que você precisa fazer. Vamos chamar elas de tarefas (genial, eu sei). Essas ações maravilhosas que a gente chama de tarefas vão para a sua lista de tarefas. Essa roda já foi inventada há muito tempo, obviamente. Eu não tô criando nada novo aqui.

Mas eu quero registrar que todas as ações que vão para a sua lista de tarefas precisam atender à dois critérios super super importantes: elas não tem uma data fixa para serem feitas (ou seja: você pode fazer a qualquer momento) e são coisas que apenas você pode fazer (ou seja: não depende de ninguém).

Se você tiver tarefas que dependem de outras pessoas (seja para outros fazerem, seja para você receber uma resposta específica de alguém ou algo assim), crie uma lista chamada: “tarefas no aguardo” e separe visualmente o que depende de você do que depende de terceiros.

Na lista de tarefas você insere ações soltas (ou recorrentes) que não tem uma data específica para serem feitas e na sua agenda você insere apenas três tipos de coisas: compromissos, lembretes e prazos finais. Santo David Allen, criador do GTD, que me ensinou que a minha agenda precisa ser um território sagrado. Isso significa, simplesmente, que você vai parar de agendar tarefas para dias específicos se elas não precisam ser feitas aquele dia. O que você pode fazer, é claro, para não esquecer totalmente delas é criar um prazo falso.

Por mais que ele talvez seja fictício, é muito mais inteligente fazer isso do que criar a ilusão que você realmente precisa fazer 10 tarefas nessa quarta-feira quando, na verdade, cê não precisa.

Prazos são as datas finais em que algo precisa ser feito ou entregue.

Contas para pagar são prazos, por exemplo. Se a sua prioridade não tem uma data de entrega real e você quer se motivar a terminar ela logo, coloque um prazo provisório num dia da sua agenda: “terminar projeto Y”, “conferir o andamento da meta Z” e assim por diante. Esse prazo nem precisa ser, pensando bem, o cumprimento total da sua prioridade escolhida. Pode ser apenas um gatilho para você conferir a quantas elas anda. Lembretes também entram sua agenda: datas de aniversário, de viagem, de casamento, de cirurgias e qualquer outro acontecimento que vai rolar naquele exato dia e que pode alterar a sua rotina normal.

E para fechar esse ciclo básico, vamos pro último ponto. \o/

 

O DOCE HÁBITO DA ORGANIZAÇÃO

É o que aquele famoso ditado diz: tô pouco me fudendo pra quantas vezes eu caio, o importante mesmo é sempre levantar. Eu talvez tenha alterado as palavras, mas você me entendeu. Uma das grandes causas de desorganização e caos total nas vidas das pessoas é ter preguiça, medo ou insegurança na hora de levantar a poeira e dar a volta por cima quando a vida nos tira dos trilhos da ordem. Aqui eu te digo: fica bem relaxado.

Porque isso sempre vai acontecer. O hábito da organização é imperfeito mesmo.

Ele é quebrado, cíclico e puramente humano.

Porque se cobrar 30 dias de perfeição? Porque almejar por um planejamento diário que nunca é alterado? Esse quarto e último conselho começa com esse papo motivacional do advogado do diabo porque eu quero te preparar para o que o escritor Jon Acuff chama de: o dia depois do dia perfeito.

Em alguns dias você vai sim conseguir se planejar. Mas em outros não. E aí que é cê faz?

Senta com o planner no colo e chora? Melhor não, né.

No início, para ficar fácil, eu recomendo que você tenha 1 hábito fixo e sagrado: o da revisão semanal. Para aprender mais sobre ela e receber umas boas dicas de como estruturar a sua, clique aqui. Se isso estiver dominado, insira também 30 minutos de reflexão diária – de manhã ou de noite – para fazer uma versão express da sua grande revisão semanal. Olhar a agenda das próximas semanas e ver sempre a sua lista de tarefas são os hábitos principais procê continuar progredindo em direção às suas metas.

Porque se, por um lado, a vida é mesmo imperfeita, por outro eu garanto: se você não fizer, ninguém mais vai. Quem precisa se importar com a sua vida mais autêntica é você mesmo, Jack. Não transfira isso pro prato dos outros. Criar um ritual que seja um verdadeiro deleite, seja no dia ou na semana, é uma meta por si só que vale MUITO à pena. Te garanto que esse momento pode ser muito fácil e divertido.

 

TEXTOS EXTRAS QUE VÃO AJUDAR

Para pensar um pouco em ferramentas práticas & simples que podem te ajudar a gerir a sua lista de tarefas e o seu calendário, dê uma lida nesse texto básico sobre como usar o Notion – um aplicativo mais do que maravilhoso que já ajudou muita gente que eu conheço. Para raciocinar um pouco mais sobre a importância de você saber para onde você está indo (ou seja: qual é o seu foco atual e momentâneo de vida), rebola aqui pra esse artigo que fala sobre a importância de você pensar sobre a sua organização bem antes do uso da agenda.

E já que estamos falando de prioridades, vale muito à pena cê ler essa discussão sobre como a gente pode aprender a priorizar a nossa vida de um jeito verdadeiro, humano & orgânico – e não mantendo aqueles ridículos ideais de ter uma vida perfeitamente equilibrada e sempre no mais ideal balanço. Por último (porque eu não coloquei fogo nessa fogueira o suficiente ainda por hoje, risos), te recomendo clicar aqui caso você queira entender um pouco melhor porque você nunca está satisfeito com o seu nível de organização.

E depois que você testou um par de dicas (desse texto ou de outro), rebola aqui nos comentários e me diz se elas funcionaram? Me conte as suas metas, compartilhe as suas angústias e me dê uma luz sobre o que mais cê precisa aprender ou saber colocar em prática. Esse blog aqui é um santuário virtual do conhecimento e eu amo quando vocês interagiam comigo & estendem a conversa sobre organização aí pros comentários. :)


 

aproveita para salvar esse texto no Pinterest e ajuda a espalhar a palavra da organização por aí, vai <3

 
Pin.png