Princípios para organizar um armário cápsula saudável

Vou dizendo logo de cara pra que as suas expectativas não fiquem muito altas: eu não sou estilista e nem consultora de moda (ainda).

Mas dar dicas de como montar um armário cápsula foi um dos temas mais pedidos quando perguntei, nas redes sociais, o que as pessoas gostariam de ver aqui no blog sobre o tema “minimalismo”.

Decidi, então, falar um pouco sobre os princípios básicos de um armário cápsula saudável – e incluir links de sites de moda que possam ser realmente úteis para quem estiver querendo planejar a sua própria coleção de peças essenciais.

Começando do início, vamos lembrar que a febre do armário cápsula é relativamente recente, mas já fez todo tipo de bagunça no entendimento coletivo do que deveria ser um “armário minimalista”.

Por um lado, adoro que tantas pessoas estejam aderindo à iniciativa de simplificar a sua vida e reavaliar a sua relação com as suas roupas. Mas por outro lado, realmente não quero que a antiga tendência destrutiva do consumismo desenfreado dê espaço para a tendência destrutiva do minimalismo vazio.

É necessário que a gente tenha bom senso.

Em qualquer lugar, com qualquer assunto. Ver sites de modas, decidir que não vamos ter mais do que X peças de roupas no armário e tentar entender o nosso estilo visual são hábitos e objetivos bom demais, mas vamos tentar não nos deixar levar por modismos.

O seu armário cápsula nem sempre vai ser tão “minimalista” quanto o de alguém que você viu nas redes sociais e nem sempre você vai conseguir fazer um super destralhamento total do seu armário.

A principal regra aqui é apenas uma: sintonize com o que te faz se sentir bonita, feliz e satisfeita. Se vestir pra você mesma – e não para os outros – é absolutamente essencial pra jogar esse jogo. 🙂

E se você estiver realmente querendo se livrar de todas aquelas roupas indiferentes, que não te despertam nada demais, assuma esse compromisso com você mesma e passe a olhar com mais esperteza para o seu guarda-roupa.

 
 

Antes de tudo, esvazie

Seguindo a linha daquilo que aprendemos com a digníssima Marie Kondo, todo esse processo começa com você separando pelo menos uma hora da semana para dar aquela boa limpeza no seu armário.

Todo mundo tem um pouco de culpa disso: se esquece do que tem no guarda-roupa e quando tira tudo do lugar percebe que algumas delas estão até com um cheiro enjoado. Quem nunca?

Você precisa fazer um reconhecimento do que você já tem – inclusive para evitar a boa e velha armadilha de viver comprando coisas repetidas e que valem por roupas que você já possui. Tire tudo do armário, pegue na mão peça por peça e coloque tudo na cama. Deixe o ar circular!

Dependendo de quantas roupas você tem, isso pode parecer infernal eu sei. Mas faça o possível pra tornar esse processo divertido.

É super legal redescobrir o seu estilo, planejar como você quer se sentir nos próximos meses e fazer sempre um excelente uso das suas roupas, aproveitando bem o seu merecido e suado dinheiro.

Limpe o armário, deixe as portas abertas, coloque um spray perfumado delicioso e vá criando logo a energia certa para o seu armário cápsula.

 

Que vida eu tenho?

Enquanto estiver olhando as suas roupas, faça uma pausa e se pergunte: que tipo de vida essas roupas demonstram que eu tenho?

Pode parecer algo bobo, mas é bem normal a gente sentir uma puta diferença entre a realidade que temos e a realidade que gostaríamos de ter. O que as roupas têm a te dizer sobre isso?

Se você tem muitos vestidos de balada, de festa e de casamento, se pergunte quantos eventos desse tipo você tem por mês. Um, dois? Ou vinte? Quanto mais as suas roupas forem usadas, mais vale à pena investir dinheiro nelas – já que, a cada uso, elas vão “se pagando” e fazendo valer à pena o investimento.

Se você tem muitas roupas de academia e de ginástica, mesma coisa: quantas vezes eu me exercito na semana? Eu corro maratonas e faço trilhas? Ou será que eu me entusiasmei e comprei um bando de coisa que eu não preciso?

Os nossos objetos sempre acabam dizendo um pouco sobre nós.

E com as roupas não seria diferente. Um bom armário cápsula é aquele que é totalmente construído em cima da vida que você realmente leva – sem utopias, sem sonhos impossíveis.

Durante a semana, aonde você vai? Quantas vezes você sai de casa durante a semana? Qual costuma ser o seu tipo de lazer? A sua profissão envolve ficar em uma sala com ar condicionado ou ficar zanzando pela rua ou pela natureza?

Faça essas perguntas à você mesma e depois dê uma olhada nesse excelente texto da Oficina de Estilo. Ele vai te ajudar a entender a quantas anda a sua vida de verdade e a montar o seu guarda-roupa ao redor dela.

 

Como eu quero me sentir? Qual é a estação?

Nem sempre é fácil, mas é totalmente possível redescobrir alguma boa sensação usando as roupas que você já tem. Dê uma boa olhada na sua vida e responda sinceramente: como você gostaria de se sentir quando usasse as suas roupas? 

Você pode estar começando um emprego novo e gostaria de se sentir mais segura e confiante nas suas roupas de trabalho. Pode estar passando tanto tempo em casa e cuidando dos filhos que gostaria de usar peças mais ousadas e sexy. Pode estar tão enfurnada no escritório, cercada de cores e texturas neutras que sente falta de roupas mais chamativas e brilhantes.

Na hora de escolher o que vai e o que fica, saber como você quer se sentir durante os próximos meses vai te ajudar muitíssimo a criar um armário cápsula autêntico e sob medida para a sua vida atual.

Pense também em como anda o tempo na sua cidade e qual é a previsão para os próximos meses. Você pode separar algumas peças para serem usadas e guardar outras tantas que não estejam em sintonia com a estação.

Nós, cariocas, vivemos passando por isso nem te conto quantos casacos lindos e fofos vivem guardados no armário porque São Pedro quase nunca me dá chance de usá-los.

 

Guardar, doar, reutilizar ou jogar fora?

Depois que tudo do seu armário estiver pra fora, você tem basicamente quatro opções do que fazer com as roupas que não combinam mais com você ou que não se adequam ao seu momento atual.

Você pode guardá-las para usar em outra época. Isso pode acontecer porque o clima não está favorecendo o uso daquela peça, porque você curte muito aquela roupa, mas acha que ela não está combinando com o seu estilo atual ou até porque você não tem certeza se ainda gosta dela.

Por mais que eu adoraria dizer pra você jogar tudo fora e nunca olhar pra trás, a verdade é que a vida não é assim tão preta e branca.

Se você não tem certeza se aquela peça te dá alegria, brilho no olhar e animação, pode ser uma boa ideia guardá-la junto com as outras roupas que não servem para a estação.

Você pode, obviamente, doar as peças que estão em boas condições. Isso é ideal para quando você tem absoluta certeza que não sente mais nada de especial por aquela roupa, mas sabe que outra pessoa adoraria usar.

É possível que você também perceba que pode reutilizar aquele tecido, transformando-o em outra coisa muito melhor: uma calça pode virar um short, um vestido pode virar uma blusa. Se você conhece uma boa costureira peça a ela uma finalidade criativa para essas roupas.

Por fim, você pode realmente jogar fora as roupas que estejam rasgadas ou muito açoitadas pelo tempo. A regra de “você usou isso no último ano” nem sempre se aplica quando estamos tentando decidir o que vamos manter e o que vamos guardar.

Você deveria jogar fora apenas as peças que estão muito avariadas, já que quase todas as roupas podem ser aproveitado de alguma forma.

 

Mais peças de cima

Me corrijam se eu estiver errada, mas acho que essa é uma das melhores diretrizes do que fazer com o seu armário cápsula.

Se precisa escolher, escolha manter mais blusas e partes de cima e economize nas calças e shorts. Uma mesma calça, se usada com blusas, casacos e acessórios diferentes, ganha uma vida totalmente nova.

Sem falar que é a parte de cima que sempre capta o olhar primeiro, então é ali que a verdadeira variação pode acontecer. Se você quiser mais dicas práticas de que tipo de peça manter, veja esse teste do site Un-fancy ou visite o site da Gabi pra poder ter acesso a esse mesmo teste traduzido.

Eu ainda tenho muito (tipo muito, demais mesmo) a aprender em relação ao meu próprio estilo. Decidir, como vocês bem sabem, não é uma habilidade tão forte em mim, então vivo tendo dúvidas sobre qual tipo de roupa usar.

Mas a ideia de me vestir com coisas que não me façam sentir bonita, atraente e divertida sempre foi insuportável. Acabei tendo um guarda roupa relativamente minimalista ao longo dos anos.

Se você é totalmente leigo e quer começar o seu armário cápsula, a melhor dica que posso te dar é: comece. E aproveite pra exercitar o músculo do desapego e deixe ir todas aquelas peças que não te representam mais.

A vida é muito curta pra usarmos coisas que não combinam com a gente. 💁


👗 CURTIU? AQUI TEM + IDEIAS BACANAS PARECIDAS, Ó: