Planner gratuito para 2018: diário, semanal, mensal e anual

O planner gratuito de 2017 do Eu Organizado foi um feliz acidente, vamos dizer assim. Eu planejei, desenhei e montei algumas folhas de planner para que eu usasse — enquanto pensava transferir o meu sistema de organização do digital para o físico papel & caneta — e, só depois, é que reparei que eu podia tornar essa ideia pública. Afinal de contas: porque beneficiar só à mim quando várias pessoas podiam entrar nessa festa? Fiz uma capa qualquer, coloquei tudo em um PDF e deixei em um post de blog bem explicadinho. Todo mundo que baixava o planner entrava, automaticamente, na nossa família virtual organizada VIP.

Também conhecido como: o grupo de pessoas mais incrível da internet.

Desde o mês em que ele foi lançado, no início de abril, o planner de 2017 foi baixado por mais de dezesseis mil pessoas. Muito mais gente do que eu esperava que fosse se interessar por ele, inicialmente. “Pelo visto essa coisa de planner gratuito tradicional é uma coisa que o pessoal gosta, né” — pensei comigo mesma. Registrei o sucesso e decidi que para 2018 eu ia fazer algo melhor, um nível acima. Chegou outubro e eu fui colhendo opiniões, fazendo pesquisas e comparando os diversos modelos de planners que eu encontrava na internet. Pesquise, pesquisei, pesquisei.

E, graças aos caminhos misteriosos do universo, eu encontrei o fator mais importante para fazer esse presente nascer do jeitinho que eu queria: a Ariane Oliveira — uma designer mineira cheíssima de talento e de amor que, junto comigo, fez essa ideia abstrata acontecer. Uma pausa para apreciar e agradecer publicamente todo o carinho que ela colocou em cada uma dessas folhas: beijo, Ariane! Você é foda.

 
03 copy.jpg
 

Já já eu vou explicar como que cada uma das seções do planner funciona e logo ali embaixo você pode preencher o formulário para receber o seu direto na sua caixa de entrada. Mas, antes disso, deixa eu te dar um resumo maroto do que esse planner contém e qual foi a minha intenção ao criá-lo. Ele tem 35 páginas e possui duas seções para o seu planejamento anual, três para o planejamento do mês, duas para o planejamento da semana e outras três para organizar e planejar o seu dia — além de uma seção coringa que serve pra tudo o que a sua mente imaginar.

Ele é o planner mais completo do mercado? Não. Não ainda, de qualquer forma.

A minha intenção para o ano que vem é fazer um planner ainda mais completo e bonito para 2019 – e para isso eu vou precisar seriamente da sua opinião. Eu não sou uma pessoa que se organiza com agendas, cadernos e canetas, fato. Eu sou digital, conectada e virtualmente imersa até a última ponta do cabelo.

Então, já te peço: se você estiver indo baixar o planner, me mande um email depois dizendo como foi o uso? Se você sentiu falta de alguma seção, se pensou em algo legal que poderia ser acrescentado, se visualizou um jeito mais fácil ou mais bacana de organizar uma parte específica da sua rotina ou do seu mês, tanto faz. Vale de tudo, o importante é compartilhar. O planner de 2018 tem um objetivo muito simples: te ajudar a colocar a mão na massa. Para valer mesmo, sem desculpa e sem complicações desnecessárias. Esse planner é ideal para todo mundo que está nos primeiros 25% do seu caminho para uma vida mais organizada.

Esse planner não vai salvar a sua vida e ele não é um substituto da sua agenda ou de um sistema de organização mais complexo. Mas ele é, sim, um excelente primeiro passo para que você se familiarize com a ideia de se planejar com frequência. Um ótimo gatilho e um estímulo externo bacana para te ajudar a criar o hábito de pensar em novas formas de otimizar a sua vida — regularmente. Com constância, humildade e insistência. As seções foram planejadas, todas elas, para te dar a maior flexibilidade e a máxima variedade de visões possível sem deixar de lado a praticidade e o foco.

O que eu mais quero que você tenha em 2018, meu bem, é foco.

Saber quais são as suas prioridades e saber exatamente o que você precisa fazer para chegar até lá é a melhor “fórmula secreta do sucesso” que eu conheço — pelo menos para nós, meros mortais. Se você está pensando em como fazer os seus planos saírem do papel e está começando a trilhar o caminho da organização, anote aí essas sugestões incríveis ó: para saber como instalar novos hábitos, de verdade verdadeira, leia esse texto aqui. Para descobrir como revitalizar a sua energia e realmente alcançar as suas metas do ano, leia esse texto aqui. Para decidir quais são as suas áreas de vida prioritárias e ter uma imagem bem pé no chão de como está a sua vida agora, leia esse outro texto aqui. E agora é cair na gandaia, né. Chega de enrolação.

 

Para baixar o planner de 2018 do Eu Organizado é só colocar o seu email e o seu nome nesse formulário aí. O planner vai chegar na sua caixa de entrada em até cinco minutos. 👍 🙂

 
planner_2018.png
 
 

Planejamento anual

Esse é o lugar para você soltar a sua imaginação e começar a colocar na ponta do lápis as suas principais intenções, projetos e objetivos para 2018. Se uma folha só for pouco você pode imprimir outras, obviamente. Mas lembre-se do princípio sagrado que eu vivo martelando na cabeça de vocês: quanto menos, melhor. Quanto menos metas você tiver, mais fácil vai ser se dedicar inteiramente à elas.

Você pode preencher essa seção com objetivos específicos (perder 10 quilos, fazer a minha festa de casamento, ler 30 livros até o fim do ano) ou com intenções mais abstratas (me alimentar melhor, começar um novo hobby, visitar um lugar novo). Quanto mais específico, melhor — essa é a regra número dois. Mas se você ainda não tem certeza do que você quer conquistar em 2018, anote as suas intenções abstratas. Já vai ser um ótimo início. A sua própria intuição vai te ajudar com o resto.

Perguntas que te ajudam a preencher essa seção: o que é que que eu não quero adiar por mais um ano? O que foi que eu comecei, não terminei em 2017 e adoraria ver finalizado antes do fim de 2018? Que tipo de pessoa eu quero ser até o final do ano? Para que as minhas ideias de longo prazo aconteçam, o que precisa ser começado ainda em 2018?

 
04 copy.jpg
 
 

Os 12 meses do ano

As duas páginas que contém todos os meses do ano servem para que você veja, de um lance só, todas as datas importantes de 2018. Se você imprimir uma parte em cada folha, pode aproveitar a parte em branco atrás para escrever o que você pretende fazer em cada um dos doze meses do ano. Dá também pra imprimir a seção “detalhes” (já já explico para que ela serve) e escrever os seus planos para cada um dos meses ali mesmo. A ideia é que você tenha, em um lugar só, todas as coisas importantes que precisam ou que já têm uma data para acontecer.

Perguntas que te ajudam a preencher essa seção: o que eu quero fazer para o mês do meu aniversário? Eu vou dar alguma grande festa ou fazer parte da administração de um algum evento? Quando eu vou tirar férias? Para quem é autônomo: quando eu vou me dar férias? Quando é que começa e termina o carnaval? E o horário de verão? Alguém vai me visitar ou eu quero ir ver em outro país ou estado, esse ano?

 

Planejamento mensal

Agora que você já pensou em 2018 de forma ampla, registre e detalhe melhor os seus planos para cada um dos meses na seção de planejamento mensal. Você pode imprimir todas elas de uma vez ou deixar para imprimir essa seção quando o mês entrar, você quem escolhe. A ideia é que os quadradinhos sirvam para que você escreva, com poucas palavras ou siglas, os dias mais importantes daquele mês: os compromissos (coisas com data, hora e outras pessoas envolvidas), os prazos (datas máximas para que algum projeto ou tarefa aconteça), os prazos dos prazos (a data limite que você se impôs para não perder o prazo real de algumas coisa) e os lembretes (coisas que aconteçam em um dia específico e que vão ser úteis para o seu planejamento mensal ou semanal).

Eu recomendo, fortemente, que você imprimir o planejamento mensal apenas quando o mês entrar. O seu planejamento do ano pode mudar muito rapidamente e é bom ter uma margem de erro para reformular as datas de alguns dos seus planos. Você também pode usar o planejamento mensal para criar uma legenda com base em cores, por exemplo. No início de janeiro você imprimir o seu planejamento mensal e decide que, de tal a tal dia, vão ser as suas férias. Você pinta todos os quadrados correspondentes e já sabe, num bater de olhos, o que te espera naquela semana.

 

Metas do mês

Essa seção é para ser impressa apenas quando o mês começar, número um. O espaço para que você escreva coisas relacionadas à datas específicas não existe, já que esse é o objetivo das duas seções anteriores. Aqui você tem um calendário normal do mês e um espaço para que você escreva algumas POUCAS, ESPECÍFICAS E QUANTIFICADAS tarefas que você vai fazer ou finalizar ao longo dos próximos 30 dias. Você pode, é claro, continuar marcando os dias importantes do mês, colocando um marca texto ou circundando as datas relevantes de alguma forma. Mas o foco desse seção é te chamar para as suas prioridades reais e autênticas.

Perguntas que te ajudam a preencher essa seção: o que eu quero concluir ainda esse mês? De que forma eu posso quebrar um dos meus objetivos do ano (que é grande demais para ser feito de uma vez só) em passos menores? De todos os meus objetivos do ano, quis são aqueles que são ideais de serem feitos esse mês?

 

Foco do mês

Essa seção complementa a anterior. Na linha de cima você escreve o mês atual e, embaixo, registra qual será o seu foco dos próximos trinta dias. Vai ser a sua área da saúde? O seu novo projeto no trabalho? Um cliente importante que surgiu essa semana? Ou o seu lazer e passatempo? E atenção para não confundir esses dois conceitos importantes, porém bem diferentes: meta é uma coisa, foco é outra.

O seu foco são as áreas ou sub áreas da sua vida que vão receber o máximo da sua atenção, carinho, recursos e dedicação pelos próximos trinta dias. O nosso foco tende a mudar bastante, dependendo do nosso momento de vida — e é por isso que eu quero que você pense nele todo mês. O seu foco em janeiro, por exemplo, pode ser tirar férias e organizar a vida. Esse foco pode continuar valendo para fevereiro, e aí, em março, você decide que quer fazer avanços na parte profissional da sua vida. O seu foco é o conjunto de frases que explicam quais são as coisas mais importantes do mundo para você agora.

As metas são os pequenos objetivos práticos que você escolheu para plasmar o seu foco. O seu foco é o destino aonde você quer chegar e as metas são as estradas e vias específicas que você vai tomar para chegar lá. O seu foco em abril pode ser, por exemplo, se alimentar melhor e cuidar mais da sua saúde. Ótimo! Perfeito.

Como é que você vai fazer isso acontecer na prática?

Se inscrevendo em uma academia e fazendo musculação três vezes na semana? Ou fazendo o seu almoço para levar pro trabalho todos os dias? As metas são os caminhos que você escolheu para trazer o seu foco para a sua rotina.

A parte de “datas importantes” é para que você passe o seu planejamento amplo do ano para o seu mês atual. Aqui entram as poucas datas realmente relevantes dos próximos trinta dias. E logo do lado você registra, com poucas palavras, as tarefas que você precisa fazer até o final do mês. A checklist mensal não tem data. Ela é feita para que você olhe para ela algumas vezes na semana e se lembre das poucas coisas que com certeza precisam acontecer nos próximos 30 dias.

O espaço da checklist é para registrar aquelas coisas que você faz todo santo mês, sabe? Pagar contas X e Y, fazer tal e tal coisa em casa, visitar fulano em tal lugar, etc.

Perguntas que te ajudam a preencher essa seção: se alguém me parasse no ponto do ônibus hoje e perguntasse quais são as duas coisas mais importantes para mim, atualmente, o que eu responderia? Se eu tivesse todo o tempo e todo o dinheiro do mundo à minha disposição, quais projetos ou iniciativas estariam no meu foco? Para ser a pessoa que eu quero ser até o final desse ano, qual parte da minha vida precisa avançar e evoluir agora? Partindo do princípio que eu posso avançar em qualquer área da minha vida, mesmo que seja apenas 1%, quais são os desafios que eu venho postergando há meses e que podem finalmente sair do papel?

 

Impulso para um novo hábito

Ano novo, pessoa nova. Quem é que não gosta da ideia de ter uma vida mais saudável e estimulante, não é mesmo? Sobre isso, aliás, um PS: se você está pensando em implementar novos hábitos em 2018, dê uma olhada nesse texto e nesse outro texto aqui. Os dois são muito bons, modéstia à parte, e vão te dar ideias bem legais.

Na linha de cima dessa seção você vai escrever o hábito que você quer começar — de um jeito simples e direto. Meditar por 10 minutos, fazer yoga três vezes por semana ou ler 10 páginas de um livro todos os dias. Quanto mais específica for a sua meta, melhor. Não precisa ser algo que você queira fazer diariamente, aliás — novos hábitos podem ser instalados em qualquer nível de frequência. Pode ser algo que você vai fazer um X número de vezes por semana, por exemplo. 

Todo dia que você cumprir o seu hábito, você colore uma bolinha.

Essa folha foi feita, sim, pensando em hábitos diários. Eles são os que mais alteram e modificam a nossa rotina e o nosso estilo de vida — e, por isso, são os mais difíceis de fazer acontecer pra valer. As linhas de baixo foram feitas para você descrever melhor como você vai colocar aquele hábito em prática. Em qual horário do dia é o melhor para que você medite, por exemplo? Você vai usar um aplicativo de meditação (Calm, Headspace) ou vai procurar por meditações guiadas no youtube?

Pense sobre o seu novo hábito e jogue os princípios gerais dele lá.

Por quanto tempo você vai meditar para que você considere que esse novo hábito foi instalado com sucesso? Essa é uma pergunta super importante de ser feita, principalmente quando as nossas metas do mês ou os nossos objetivos do ano são baseados em tarefas repetidas diariamente. Na parte de baixo da folha você escreve o dia em que você começou a praticar o seu novo hábito e por quantos dias seguidos você o fez até o fim do mês.

Essa seção só te permite registrar um hábito por folha e isso foi de propósito.

Eu não gosto do modelo de criar um “habit tracker” e registrar o seu avanço em 10 ou 15 hábitos diferentes. Ele está super em moda hoje em dia e aposto que existem alguns modelos gratuitos na internet para você copiar, salvar e imprimir, se quiser. Mas eu sou do time que pensa que quanto menos mudanças você fizer por vez, melhor. Se você está realmente precisando ou querendo instalar dois ou três hábitos de uma vez só, imprima duas ou três folhas dessa e deixe elas sempre em acima da sua mesa. Crie o hábito (percebe a ironia?) de registrar o seu avanço todos os dias antes de dormir ou logo depois do café da manhã, por exemplo.

 
05 copy.jpg
 
 

Planejamento semanal

Chegou a hora de organizar a sua semana. A ideia é que você tenha o hábito (ver seção acima, risos) de imprimir, uma vez por semana, todas as seções que você vai precisar para os próximos sete dias. Dá também para imprimir todas as seções semanais uma vez por mês e deixar tudo guardadinho e bem à mão. No topo dessa folha você vai escrever a semana na qual você está: 12 a 18 de janeiro de 2018, por exemplo. Escolha se a sua semana começa no domingo ou na segunda e vai fundo.

As primeiras linhas são para você escrever de 6 a 8 metas para serem cumpridas naquela semana. Dê uma olhada no seu foco do mês e vá quebrando as metas mensais em partes pequenas e administráveis. Dá para você imprimir quatro folhas dessa seção e, logo no início do mês, já planejar as metas de todas as próximas quatro semanas, levando em conta as suas metas mensais. Mas dá também para fazer isso conforme a semana chega, caso a primeira opção seja rígida demais pra você.

Quais são as suas pequenas metas para os próximos sete dias?

Lembre-se que a gente costuma superestimar o que a gente consegue fazer em um dia e subestimar o que dá pra fazer ao longo de um ano. Se comprometa com coisas pequenas e essenciais para fazer os seus projetos andarem para frente.

A tabela dessa página é para que você crie os seus próprios blocos de tempo. Se você não sabe bem como fazer isso, vem pra cá ler esse texto e se inteirar da teoria. Você vai escrever a data de cada dia da semana (segunda 23, terça 24, quarta 25) e, nos campos da “manhã”, “tarde” e “noite” vai escrever que tipo de tarefa você vai fazer nesses períodos. Toda segunda de manhã, por exemplo, você vai estudar. Você pode usar a seção de “detalhes” para criar um plano de estudos e, no seu panejamento semanal, resumir rapidamente o período do dia em que o estudo vai acontecer.

Os blocos do tempo são uma forma de agrupar tarefas similares que você precisa fazer toda semana. Para mim, por exemplo, todo dia de manhã é dia de escrever. O meu sistema de organização me diz o que eu preciso escrever a cada semana, mas o período do dia em que isso é feito já está previamente decidido.

Sábado pode ser o seu dia de diversão, o dia inteiro, e domingo de noite pode ser o seu período de planejamento pessoal, por exemplo. Os seus blocos de tempo também pode mudar de semana em semana — por isso essa tabela está repetida em todos os seus planejamentos semanais. Com o tempo a gente vai aprendendo qual tipo de tarefa se encaixa melhor em qual dia ou em qual período do dia.

É só uma questão de tentativa > erro > recalcular a rota > assim por diante.

 

Rotina semanal

O começo é idêntico: no topo da folha você escreve a semana na qual você está e, embaixo, tem um quadradinho para você dizer a data de cada um dos dias da semana. Essa seção é para você anotar os compromissos e tarefas específicas que você precisa fazer ao longo dos próximos sete dias. Simples simples, fácil fácil. Dá para escrever algumas intenções (coisas que você não precisa fazer em nenhum dia específico, mas que seria bom que fizesse) e passar algumas datas importantes do mês para a sua semana corrente. Deu pra ver que várias seções desse planner conversam entre si, né? A ideia é criar uma cascata lógica e intuitiva para que você tenha sempre controle das principais partes do seu ano, mês e semana.

 

Conquistas diárias

A melhor seção de todo esse planner, na minha opinião. Ela foi feita para que você a tenha bem em cima da sua mesa, sempre à mão, e a ideia é que todo dia, preferencialmente de noite, você escreva uma coisa ótima que você conquistou. Pode ser algo grandioso e tradicional, como tirar uma nota alta ou fechar um novo cliente para a sua empresa, ou algo bem pequeno e terrivelmente mundano, como levantar da cama e tomar banho. A gente vive falando de metas de vida e prioridades autênticas, mas a verdade é que às vezes a bad pega a gente de jeito. Pega e não larga mais. Mas se você for capaz de reconhecer o quão forte e o quão foda você é, mesmo nos seus piores dias e nas suas horas mais escuras, tudo fica melhor. 💜

 

Hoje

Lá em cima, do lado da palavra “hoje”, você coloca a data. Nas três linhas iniciais você escreve as três tarefas mais importantes e essenciais do seu dia — aquelas que, mesmo sendo apenas três, já vão te dar um bom senso de realização e vão fazer os seus projetos mais prioritários andarem para frente. Essa lógica de planejamento diário é bem simples e é claro que alguns de vocês já passaram dessa fase há muito tempo. Se você implementa o GTD ou segue qualquer outro tipo de teoria mais complexa pra planejar a vida, As Três Vitórias Diárias (nome que eu acabei de dar, mas que não foi totalmente inventado por mim) pode ser um hábito simples demais.

E se for assim, tudo bem.

Essa seção é para ajudar, principalmente, que está dando os braços para a organização e para o planejamento pela primeira vez e está se arrumando para o seu primeiro encontro com ela. Eu gosto muito de pensar nas minhas Três Vitórias Diárias mesmo tendo um sistema maior e mais abrangente de planejamento. Eu gosto muito das coisas simples, cara, não tem jeito. Elas sempre me reconectam de novo com os princípios importantes da vida e com as verdades autênticas que realmente fazem sentido pra mim. E nesse ponto, não tem jeito: as coisas mais importantes dos nossos dias deveriam ser o mais óbvias e o mais simples possível. O que é prioridade nunca deveria ser complicado demais para se traduzido para o papel.

As linhas abaixo contemplam todas as horas do dia, das cinco da manhã à meia noite.

É aqui que você vai escrever os seus compromissos semanais com data e hora: aulas da faculdade, reuniões, consultas e passeios. Eu coloquei apenas uma linha para cada hora para que você tivesse o máximo de planejamento diário possível. Você pode puxar um colchetes e indicar que, de seis às oito da manhã, é a hora da sua academia e que de uma às duas da tarde é o seu momento para almoçar, talvez. Essa seção é para te mostrar tudo o que você precisa fazer no seu dia, sem complicações.

 

Detalhes

A famosa seção coringa que todo mundo pediu. Quando eu estava planejando as partes desse planner, recebi muitas ideias boas: uma seção para controlar os livros lidos, para anotar as séries que falta ver, para fazer um planejamento detalhado tipo a análise SWOT e assim por diante. E por mais incrível que seria fazer cada uma dessas seções, achei melhor dar uma folha em branco e deixar que a imaginação de cada um preencha essas lacunas.

Mais prático e não deixa nenhuma iniciativa peculiar sua de fora.

A melhor ideia que eu tive para essa seção foi colocar uma folha dessa, em branco, depois de cada seção de planejamento mensal. A ideia de escrever o que eu quero que aconteça em cada mês do ano, especificamente, é muito boa. Você pode também, como eu sugeri lá em cima, mesclar as duas páginas que contém todos os doze meses do ano com duas folhas dessas e dedicar algumas linhas para descrever, por alto, o que você pretende fazer em cada um dos meses. Outro ótimo uso dessa seção é a famosa lista da gratidão: escrever, todos os dias, uma coisa pela qual você é grato. Inúmeros usos, inúmeras ideias. Depende só da sua imaginação.


😧 CURTIU? AQUI TEM + IDEIAS BACANAS PARECIDAS, Ó: