Como ter mais produtividade trabalhando em home office

Ficar perto da sua família o dia inteiro, poder escolher os próprios horários, não precisar trabalhar todos os dias, cochilar no meio tarde e ter a liberdade de trabalhar de pijama. Fazer home office ou trabalhar de forma autônoma e independente em casa tem das suas vantagens. Qualquer um que te disser o contrário está mentindo.

Mas como tudo na vida, também tem algumas desvantagens. Ser o seu próprio chefe, ter disciplina, não se distrair facilmente com a televisão ou com o celular, não deixar os outros membros da casa interferirem na sua rotina, etc. Se alguém te disser que trabalhar em casa é um mar de rosa sem espinhos, desconfie.

Trabalhar em casa é uma faca de dois gumes que não pode ser santificada nem crucificada. Trabalhar em casa dá trabalho? Óbvio que sim! Trabalhar sempre vai exigir dedicação, clareza, esforço, disciplina e malemolência onde quer que for. Trabalhar com foco, ser produtivo e ainda ter maturidade e esperteza suficientes para saber administrar toda essa liberdade pode ser difícil.

Mas o prazer de poder decidir todos os detalhes da sua rotina é enorme. Cultivar e arrumar o seu dia-a-dia da melhor forma possível dá muito gosto. Ser capaz de otimizar a sua vida cada vez mais, como um artista trabalhando na sua obra de arte, é o luxo máximo.

 

Finja que você está indo trabalhar de verdade (afinal, você está)

Antes de tudo, coloque uma roupa digna. Sentar no computador de pijamas e rouba de baixo não é algo que você faria no escritório, não é? Faça tudo exatamente como você faria se você fosse sair de casa. Você está indo trabalhar, afinal de contas.

Por acaso o seu escritório fica na sua própria casa, nada mais. Se arrume com a mesma intenção e mentalidade de sempre. As roupas não precisam ser super chiques e extravagantes. Procure por peças confortáveis um pouco mais formais do que as que você usaria nos seus dias de folga e use-as apenas quando estiver trabalhando.

Olhe bem de pertinho o tempo que você está gastando de manhã, se arrumando e tomando café. Se você fosse trabalhar fora de casa, provavelmente não teria muito tempo para essas coisas.

 
Se arrume completamente e finja que você está realmente indo trabalhar. Do contrário, você pode acabar voltando pra cama.
— Anna Faber-Hammond
 

Nada de fazer comida, nada de ter trabalho montando um super luxuoso café da manhã. Faça isso nos fins de semana ou nos seus horários de folga. Nada de passar mais de uma hora conversando com as pessoas que moram com você ou se distrair fazendo tarefas de manutenção de casa. Você pode tirar o lixo e lavar a louça quando estiver dando uma pausa do trabalho.

Na dúvida, se pergunte: eu teria tempo de fazer isso se eu fosse trabalhar fora? Tudo depende da hora que você acorda, das suas responsabilidades domésticas e de quantas pessoas moram com você. Decida quanto tempo livre você vai ter entre acordar e começar a trabalhar e siga esse planejamento à risca.

 
 

Bata um papo sério com a família

A principal dificuldade de toda essa história é manter uma distância saudável e construtiva entre a vida pessoal e a vida profissional. Saber que tudo faz parte da sua rotina, mas conseguir diferenciar claramente onde uma começa e a outra termina é um sinal de inteligência e maturidade que vai fazer -toda- a diferença.

E isso inclui garantir que os membros da sua família saibam a diferença entre o seu horário de trabalho e o seu horário de lazer. Para quem mantém um emprego tradicional, pode ser bem difícil entender que você estar em casa NÃO significa que você está livre.

Adivinha quem é o responsável por esclarecer isso da melhor forma possível? Exatamente: você. Não cobre dos seus filhos, pais, irmãos, amigos ou companheiro/a uma compreensão instantânea e incondicional. Eles vão te ver em casa, sentado/a no computador e fazendo pequenas tarefas cotidianas, e provavelmente vão ter dificuldades de entender que esse é o seu horário de trabalho.

Vão pedir coisas, contar fofocas e notícias que passaram na televisão, pedir a sua opinião e contar com a sua presença para diversas coisas. Cabe a você estabelecer (e cumprir!) os limites. Diga para todo mundo qual é a sua hora de início e de término de trabalho. A partir de que horas você vai estar livre? Você vai ficar no seu quarto, no escritório ou na sala? Qual vai ser a sua folga de almoço? Você vai fazer alguma pequena tarefa de casa ao longo do dia ou não?

Combine sinais para ajudar as pessoas a entenderem melhor a sua rotina. Porta fechada ou usar fones de ouvido pode significar “estou trabalhando, por favor não fale comigo”. Quando você vai fazer café ou lanchar pode ser a deixa para todo mundo saber que você está dando um tempo, ou voltar da academia pode ser um sinalizador que você está oficialmente livre.

Facilite o lado deles e garanta a sua produtividade. Não precisa ser “ou um ou outro”, é perfeitamente possível fazer os dois. Se a sua família entender e respeitar, trabalhar em casa e estar perto de quem você ama o dia inteiro vai ser uma festa sem constrangimento ou brigas.

 

Aproveite o seu pico de produtividade

Agora que você já avisou para todo mundo que vai trabalhar em casa e já cortou algumas possíveis distrações logo cedo, está na hora de decidir como vai ser a sua jornada.

Vai acordar com as galinhas, antes de todo mundo estar de pé? Prefere acordar um pouco mais tarde, lá pelo meio da manhã e trabalhar até de tarde? Ou você é mais produtivo de noite, quando a casa está mais tranquila? Tem alguma responsabilidade ou compromisso diário que você precisa levar em conta?

Essa é a parte verdadeiramente mágica do home office, senhoras e senhores. Trabalhar em casa te dá o poder de confeccionar e estilizar a sua rotina da forma como bem entender. Nossa, Ana, que máximo! Quer dizer que eu vou poder acordar quando eu bem entender e modificar a minha rotina conforme os dias da semana? Óbvio que não. Ter um horário fixo e repetitivo para acordar, dormir, começar a trabalhar e descansar é essencial.

Mas experimentar e testar vários horários até descobrir qual é o que funciona melhor pra você, sim, isso você precisa fazer. Antes de tudo, venha aqui nesse site e faça o teste para descobrir qual é o seu biotipo. Cada ser humano funciona de um jeito e se relaciona com as horas do dia de uma forma diferente. O médico Michael Breus escreveu um livro sobre isso e dedicou a sua carreira a descobrir e a entender como cada biotipo funciona. O teste é apenas em inglês, mas vale muitíssimo à pena fazer.

E que tal evitar usar o celular ou ver televisão intensamente logo de manhã? Pois sim. Anote essa regra, ponha ela em prática e veja o que ela não vai fazer pela sua produtividade. Criar antes de reagir é essencial para um início de dia de trabalho arrasador. 

Antes de digerir e reagir ao que o mundo está criando (textos no facebook, notícias, tragédias, fotos fofas no instagram, vídeos de animais no youtube, emails, etc.), cuide do seu trabalho criativo. Planeje o seu dia, rascunhe ideias, estruture as próximas ações do seu projeto. Respire fundo e mantenha o mundo lá fora durante as primeiras horas do trabalho.

Separar um pequeno tempo para alguma atividade gostosinha e inspiradora logo de manhã também é um excelente ideia. Qual é a sua praia? Exercícios, meditação, leitura, escrever no diário, brincar com o cachorro, dançar? Tire dez ou quinze minutos para cultivar alguns dos seus hobbies - de preferência um que te ajude a acordar e te deixe em um humor legal. 

Ter uma atividade intermediária entre o acordar e o trabalhar ajuda a gente a ficar no clima certo. Para mim, arrumar o quarto, tomar café da manhã, fazer uma boa limpeza no rosto e ouvir música funciona muito bem. Gasto vinte minutos com tudo isso e vou aos poucos me acostumando com a ideia de trocar a cama quentinha pela mesa e computador.

 

Tenha um espaço só para trabalhar

Se possível for, não trabalhe no seu quarto.

Primeiro, porque ele fica perigosamente perto da sua cama. Segundo, porque fazer um pequeno “caminho” de transição entre o seu quarto (lugar tranquilo de sonhos, sexo & sono profundo) e o seu escritório (lugar de conquistas, atenção e estratégias) é uma ideia muitíssimo boa.

Conseguindo ou não trabalhar fora do seu quarto, faça tudo o que puder para que o seu canto oficial de produtividade tenha a sua cara. Quais as cores, texturas, enfeites ou sensações você gostaria de ter por perto? Você faz do tipo minimalista básico ou prefere vários estímulos coloridos? Faça o que o seu tempo e dinheiro permitirem e registre ideias bacanas para implementar no futuro.

Honre o seu espaço de trabalho com a intenção de fazê-lo especial e diferente do resto. Afinal, você não precisa se contentar com um escritório impessoal e desconfortável. Você está em casa, literalmente: solte a criatividade.

Faça também tudo o que for possível para que a sua estação de produtividade seja ergométrica. Invista em uma boa cadeira (de verdade, isso é muito muito importante) e faça com que sentar na frente do computador seja algo fisicamente confortável.

Os seus pés devem fazer um ângulo de 90 graus com o chão. Para a maioria, isso significa ter algum tipo de apoio para os pés: um puf, um banquinho, o que for. Os seus braços também precisam estar em 90 graus com a mesa.

Nada de subir os ombros e os antebraços para conseguir digitar, nada de elevar os punhos para mexer no mouse. Os ombros devem estar relaxados e os braços precisam se movimentar sem grande esforço.

A sua coluna deve estar alta, reta e a tela do computador precisa estar diretamente na altura dos seus olhos. Pescoço torcido para trás ou para frente para conseguir enxergar o computador? Não, não. Se você usa um computador normal, regule a altura do monitor de acordo com essa lógica.

Se você usa um laptop, compre um mouse e teclados extras. Sim, é chato e não vai servir para uma foto descolada para o Instagram. Mas vai evitar muitas dores, pode apostar.

 

Tenha distrações controladas por perto

O seu trabalho não é ficar navegando no Facebook e no Youtube o dia inteiro, checando o Twitter e respondendo prontamente a todo email que chega, provavelmente.

Se você faz parte da enorme parte da população que se distrai e quando vê já passou uma hora fazendo aquilo que você ia “fazer rapidinho”, escute-me quando digo que você precisa limitar o acesso às coisas que te distraem.

Televisão, email, redes sociais, pessoas falando ao seu redor, etc. Saia de perto ou bloqueie o seu acesso a tudo o que pode roubar a sua atenção de verdade.

Lá no final do texto eu recomendo aplicativos e sites específicos que podem ajudar nessa empreitada. Mas de modo geral, comece com a boa e velha força de vontade. Saia do Facebook (saia mesmo, não apenas feche a janela), saia do email. Se o barulho de pessoas falando te distrai, vá para um espaço silencioso.

 
Eu tiro todas as redes sociais da minha barra de ferramentas do navegador. Mesmo que eu não tenha a intenção, um impulso inconsciente e incontrolável me faz clicar nelas quando estou distraído. Você pode ser sugado para as redes sociais mesmo sem saber (ou sem querer). Eliminar o portal para elas me ajuda a ficar concentrado.
— Alec Biedrzycki
 


Não estou dando nenhuma dica nova aqui, só reiterando o bom senso. Aprender a diferença entre os seus “ladrões de atenção” e as suas “distrações controladas” também é item de primeira necessidade. Nem todo mundo se distrai e se diverte com as mesmas coisas. Qual é o seu calcanhar Aquiles? Aquilo que se você começar a fazer, já era, a atenção foge e não volta mais?

Escreva esse ladrão em letras GARRAFAIS e faça um trato com você mesmo: toda vez que eu sentir vontade fazer X (insira o seu ladrão de atenção aqui), vou fazer Y. Pode ser dar uma volta no quarteirão, lavar a louça, fazer polichinelos, beber água, molhar as plantas, ouvir uma música, etc. Os seus vícios procrastinadores precisam ser limitados e controlados, sim.

Mas vez ou outra, precisamos de uma distração. Nenhum pobre mortal consegue prestar atenção em uma única coisa por horas e horas. Embora você precise bloquear e evitar ao máximo as coisas que te roubam totalmente a atenção, ter distrações divertidas por perto ajuda a calibrar a sua atenção.

Quais atividades relaxantes você pode fazer em até 5 minutos? Assistir um (eu disse um só) vídeo no Youtube, olhar pela janela, brincar com o seu animal de estimação? Ler um pouco de um livro, ouvir uma música interessante, conversar com alguém da sua casa?

Descubra quais distrações recreativas você pode ter por perto. Talvez seja um cubo mágico, uma rede, uma planta, um jardim zen, uma bola de futebol. Pode ser absolutamente qualquer coisa. A única condição é que seja algo que não te jogue em um espiral infinito de procrastinação.

Falando nisso, te lembro também de manter a sua mesa e área de trabalho minimamente organizadas. Se você gosta de um ambiente criativo (cheio de canetas, papéis, artefatos, revistas e livros), faça o mínimo de limpeza possível para que a bagunça não seja assim tão grande.

Você consegue encontrar tudo o que precisa no seu escritório? Sabe o que tem em cada gaveta e em cada pasta?

O ambiente externo influencia o nosso humor e a nossa clareza mental. Um trabalho produtivo, fluído e intencional fica muito mais difícil de acontecer em um ambiente visualmente poluído ou sujo. Para se inspirar um pouco mais sobre isso, leia esse texto que escrevi sobre como destralhar a sua casa.

Você se sente fisicamente confortável no seu ambiente de trabalho? Ele te passa a sensação de calma, controle e inspiração?

A sua mesa e a sua sala vão te acompanhar pelas próximas seis ou sete horas, então é bom garantir que elas também estejam no melhor estado possível para te ajudar a se concentrar.

 

Saia de casa e faça pausas

Os momentos de pausa e descanso são tão importantes quanto garantir que você não seja sugado para o vórtice dos ladrões de atenção. Intercalar atividades mentais com atividades físicas, momentos de pura concentração com momentos de lazer e descontração e calibrar os seus sentidos com experiências diferentes, longe da mesa de trabalho, ajudam demais na produtividade.

Tenha cinco ou seis atividades secundárias recreativas para fazer durante o seu período de pausa e, mais importante de tudo, tire claro momentos de descanso — de preferência, longe do computador.

Ficar remoendo e pensando de novo e de novo sobre as mesmas tarefas não é otimizado, vai acabar te cansando mais do que o necessário e pode até ser uma forma de auto sabotagem.

Aprenda a descansar. Faça pausas de 5 ou 15 minutos, no máximo, e aproveite pra mexer o esqueleto enquanto isso.

Ande pela casa, vá no mercado, caminhe pela rua, vá em algum parque ou lugar especialmente bonito, converse com pessoas, pegue um sol na cara. Isso tudo já faz muito bem, especialmente para as pessoas que passam boa parte do tempo olhando para a tela do computador.

Se você faz parte do grupo de pessoas que simplesmente não consegue se concentrar em casa (ou se está só querendo respirar novos ares), porque não experimentar trabalhar em outro lugar? As clássicas cafeterias são sempre boas ideias. Você vai precisar de internet móvel ou wifi, computador, água, comida e um lugar bem confortável para sentar.

Alguns shoppings já tem espaços destinados para co-working e várias empresas também disponibilizam seus espaços para o trabalho autônomo ou em grupo. Algumas cobram por isso, mas as opções são cada vez maiores. 

Um das principais razões pelas quais trabalhar fora de casa costuma dar resultado é por que você sabe que outras pessoas estão te vendo. Quantas vezes você já foi em um Starbucks da vida e viu alguém sentado ao computador, com fones de ouvidos e papéis espalhados na mesa, navegando no Facebook?

Será que era isso mesmo que aquela pessoa foi lá para fazer? Meu palpite é que não. Se você realmente for sair de casa para trabalhar, não seja uma dessas pessoas. Pagar de culto e diferente não faz as coisas acontecerem.

Trabalhar, sim!, faz as coisas acontecerem. Estar em um local público, com outras pessoas te olhando, pode recriar a sensação de estar em um escritório, com a vantagem que você sair e fazer pausas na hora que bem entender.

 

Arme o jogo para você ganhar

Quando você joga banco imobiliário com alguém, precisa seguir certas regras. Não dá para sair fazendo tudo ao seu bel-prazer. Mas quando você está trabalhando em casa, adivinha só! Você se torna dono/a desse jogo e pode armar o circo de mil e uma formas.

Qual forma você escolhe? Aquela que for mais benéfica para você e que te poupar o máximo de trabalho possível. Essa dica pode soar óbvia, mas não duvide nenhum pouco da sua própria capacidade de se enganar. Todos nós mentimos para nós mesmos às vezes.

Para que fazer algo da maneira mais difícil possível, se você pode facilitar?

Comece visualizando o seu dia ideal de trabalho em casa: como ele seria? O que você faria, em qual ordem, com qual objetivo? Quais atividades pessoais estariam incluídas? Qual seria o seu horário de descanso e de trabalho?

Detalhe o máximo possível e depois pense: o que eu preciso fazer para realmente conseguir isso? Se você quer acordar às sete da manhã, provavelmente vai precisar dormir mais cedo, por exemplo. Para dormir mais cedo, ficar até a última hora checando emails e vendo televisão com certeza não são coisas que vão ajudar.

Se você quer atingir um objetivo X, precisa fazer as tarefas consonantes com ele. Não adianta passar três horas cuidando das suas redes sociais se o seu objetivo não tem nada a ver com isso. Fazer essa auditoria com nós mesmos é de primeira necessidade.

Para ter o dia mais produtivo e proveitoso possível, ajuda muito ter uma ajuda externa para se manter na linha. Ter um simples planner de papel em cima da sua mesa é um bom começo.

Escreva ali quais são as 5 ou 6 tarefas mais importantes do dia e deixe aquele papel ficar te olhando o dia inteiro. Anote os seus compromissos, com hora de início e de término. Anote também qualquer tarefa mais básica de manutenção que você precise fazer (ir ao mercado, lavar roupa, ir aos Correios, etc).

Se quiser planejar com ainda mais profundidade o seu dia, jogue todas as suas tarefas e compromissos em um aplicativo de lista de tarefas. Crie checklists que possam ser úteis para o seu dia de trabalho e anexe documentos de referência que você vai precisar usar.

Sabe quem é o seu maior aliado nisso tudo? Você mesmo, meu bem!

Deixe que o seu eu do passado ajude o eu do presente. Faça um planejamento básico do próximo dia de trabalho na noite anterior. Se não der, faça assim que acordar. Decida quais hábitos ou rotinas você quer manter ao longo do dia e tenha um alarme para tocar e te lembrar deles.

Nem sempre dá para planejar absolutamente tudo (afinal, que graça teria isso?), mas sempre dá para pouparmos uma boa parte de trabalho estratégico decidindo tudo isso antes de sentarmos a bunda na cadeira para trabalhar.

Essa “simples” atitude deixa os meus dias muito mais leves. Confiar totalmente na Ana do passado me poupa bastante tempo na hora H.

Falando em planejamento, preciso te lembrar dessa palavrinha mágica que faz verdadeiros milagres: METAS.

Elas são super importantes e você não vai terminar de ler esse texto sem decidir quais são as suas.

Nós, bichinhos humanos, somos feitos para termos um alvo, um objetivo, algo que no guie e nos impulsione. Muitas vezes, a sensação de estar perdido e no meio do caos total vem da falta de metas bem definidas. Felizmente, isso é simples de resolver.

Pense no seu trabalho atual: onde você está querendo chegar com ele? Para que você está fazendo isso? Qual objetivo você quer alcançar com esse trabalho daqui a um ano? E daqui a cinco anos?

Se você esclarecer o objetivo do seu trabalho, fica mais fácil reconhecer as suas metas. Pense, reflita e registre as suas respostas. No dia-a-dia, tenha essas metas bem claras dentro de você. Elas vão te guiar, te ajudar a tomar decisões difíceis e te manter motivado nos períodos mais sombrios.

Outra estratégia muito boa para se manter motivado, produtivo e radiante (ok, radiante pode ser exagero) é contabilizar e registrar quanto tempo você passa trabalhando em cada área do seu trabalho.

Quais são as etapas, passos ou fases que constituem o seu trabalho? Anote todas em um papel e vá colocando do lado quantos minutos ou horas você passou em cada uma delas.

Se preferir, alguns aplicativos fazem isso automaticamente. Reconhecer onde você está -realmente- gastando o seu tempo é a melhor forma que eu conheço de se conhecer mais e se manter dentro do caminho da produtividade equilibrada.

 

Aplicativos para um home office gostoso

Essa lista não tem o objetivo de ser a mais completa de todas, mas é um bom lugar para aqueles que estão começando a se aventurar nas águas do home office.

Brain.fm
Essa é a melhor opção de “música para ser mais produtivo” que encontrei até hoje. O site está em versão beta e oferece apenas 7 sessões gratuitas, depois disso você precisa pagar. Cada sessão pode ter 30 minutos, 1 hora ou 2 horas e você pode escolher entre as categorias “trabalho”, “lazer” ou “sono”. Estava cética no início, mas essas músicas são realmente construídas para que o nosso cérebro siga os mesmos padrões que estão sendo tocados. O resultado é uma melhora significativa no foco e na atenção.

Noisli
Uma opção honesta e bacana para quem quer apenas ouvir alguma coisa interessante para abafar a barulheira em volta. É gratuito e te permite combinar diversos sons diferentes: fogo crepitando, trem passando, vento, chuva, passarinhos cantando, pessoas falando no café. Tem até barulho branco (white noise). Ele também vem com um editor de textos minimalista e colorido para você escrever sem distrações. Dá para exportar o texto para o google drive ou dropbox depois.

Stay Focused
Essa extensão do Chrome te permite limitar o tempo que você passa em certos sites. Você configura o tempo pelo qual o site ficará bloqueado, define o horário de início e pode até escolher bloquear apenas certas partes do site. Durante o tempo que você escolheu, a extensão impede totalmente o seu acesso.

Key Br
Esse site tem um objetivo muito simples: te ensinar a digitar sem precisar olhar para o teclado. Ele te ensina a digitar mais rápido, olhando apenas para a tela. Curioso, né?

Be Limitless
Essa é uma extensão para o seu navegador que te permite saber quanto tempo você passou em cada site. O ponto forte dela são as análises: você registra quais assuntos você costuma consumir na internet (tecnologia, redes sociais, notícias, vídeos, filmes, música, blogs, email, etc.) e ela te diz quanto tempo (do dia, da semana ou do mês) você passou dando a sua atenção para essas áreas. Você também pode definir uma meta diária, que aparece toda vez que você abre uma nova aba. Sem falar das fotos de fundo, sempre tão lindas.

Asana
A garota dos meus olhos, não vou mentir. Esse aplicativo tem versão web e uma tonelada de coisas bacanas: uma visão de calendário excelente (que pode ser separada por projeto ou pode mostrar todas as tarefas de todos os projetos em um só calendário), permite criar sessões entre as tarefas (ou seja, pode ser usado como um de kanban vertical), você pode criar uma checklist dentro de cada tarefa e também pode usar tags coloridas.

Além de tudo, é de graça e você ainda pode chamar +14 pessoas além de você para criar projetos colaborativos. Um unicórnio, uma fênix e um urso coloridos passam voando na sua tela de tempos e tempos, depois que você concluiu um certo número de tarefas. Tem como ser melhor?

Harvest
Não por acaso, escolhi também esse para ser a minha central de controle. O Asana tem uma integração nativa com esse serviço de registro de horas. Se você trabalha como freelance, preste atenção especial nele: você pode registrar as suas horas de trabalho e o seu empregador pode usar o Harvest para saber quanto precisa te pagar.

Ele também tem a opção de plano gratuito, funciona na web e tem um aplicativo que aparece sempre na sua barra de ferramentas do computador. Ele foi feito originalmente para grupos administrarem grandes projetos e milhares de tarefas, mas eu uso ele de uma forma diferente.

Cada sub área do meu trabalho se torna uma tarefa e o Eu Organizado é um projeto. Quando começo a trabalhar em alguma tarefa, clico no ícone dele dentro do Asana e escolho em qual sub área de foco aquela tarefa se encontra: redes sociais, conteúdo, site? Uma vez por semana eu vejo quais áreas de trabalho receberam mais a minha tenção.

Sleepy Time
Um dos hacks mais incríveis que descobri esse ano! Não acredito que todo mundo não fale mais dele. Esse site pode te dar duas informações preciosíssimas: que horas você precisa acordar, se for dormir agora ou que horas você precisa estar dormindo para acordar no horário X.

O nosso sono é composto por vários ciclos REM de uma hora e meia. Sabe quando você acorda super acabado, com duas pedras em cima dos olhos e todos os seus membros gritam para ficar na cama? É provável que você tenha acordado bem no meio de um ciclo REM.

Durante o ciclo, todo o nosso corpo fica imerso no mais profundo sono e a sensação de acordar bem nessa hora é muito ruim. Para que você acorde com mais disposição, precisa acordar entre ciclos. Com a ajuda desse site, você vai acordar na hora mais propícia possível.

E você? Tem algum hack maroto na hora de trabalhar em casa? Como costuma ser a sua rotina? Deixe aí nos comentários para ajudar outras pessoas e aumentar o conteúdo desse post!


🍷 CURTIU? AQUI TEM + IDEIAS BACANAS PARECIDAS, Ó: