A organização começa antes da agenda: qual é o seu foco atual?

Uma das coisas mais finas e mais difíceis de conseguir, com toda a certeza: clareza do que você realmente quer. É aqui que começa a Estrada da Organização e, assim como você, muita gente tem dificuldade de selecionar exatamente qual fatia da vida e das tarefas vai receber a maior parte da sua atenção – eu inclusa, óbvio. Eu não estou aqui para colocar a maior banca e te dizer que hoje em dia eu sempre sei, a qualquer momento, qual é a minha maior prioridade.

Nem sempre.

E, por outro lado, se organizar e planejar as suas semanas e os seus meses realmente te ajuda a dar conta de cada vez mais coisas, de modo que, com o tempo, você consegue abraçar mais pedacinhos diferentes da vida sem deixar a peteca cair. Esse músculo expande os seus poderes naturais e deixa a sua antiga “zona de conforto” cada vez maior, mais larga e mais potente. Isso tudo é verdade.

Mas nem toda a organização do mundo vai te dar o que eu considero ser o maior benefício de ter uma prioridade clara: a conclusão dos seus projetos. A quantidade de energia que você poupa quando você não precisa ficar decidindo, a torto e direito, qual é a coisa mais importante de fazer agora – nossa.

É muita, confie em mim.

 
Pin.png

aproveita pra salvar essa imagem aí no Pinterest para se lembrar dessas ideias legais depois. <3


 

"Mas Ana, eu nunca consigo ter uma prioridade só!"

Essa é a definição de ter uma “prioridade”, aliás: saber onde você vai fazer progresso. Progresso verdadeiro, nesse caso. O tipo de progresso que, daqui a um ano, você vai olhar para trás e dizer: nossa! ano passado foi o ano em que eu realmente evoluí e conquistei várias coisas nessa área da minha vida. Isso não significa que você deixou todas as outras coisas pegando poeira e acumulando teias de aranha, longe disso.

Quase ninguém consegue simplesmente abandonar metade das suas responsabilidades e trabalhar obsessivamente em uma única coisa, é claro. Mas todo mundo pode progredir.

E esse progresso é mil vezes mais fácil, mais gostoso e mais potente de ser feito quando você decide, por você mesmo, onde e como ele vai ser feito, de uma forma específica e consciente. Quando você tem muitas coisas para cuidar, então, é vital que você saiba qual é a sua Prioridade Número Um.

Quando a casa cair, quando o furacão passar e quando a vida jogar os seus planos pro alto, o que você vai salvar? Daqui a um ano, qual é o progresso, a mudança de vida ou o pequeno degrau que você mais quer ter alcançado? Qual parte da sua vida anda mais precisando de uma chacoalhada? Qual é o legado que você quer construir para o seu eu do futuro agora?

O maior perigo de sempre se doar para mil trezentas e sessenta e quatro coisas importantes diferentes e nunca ter um foco claro para a sua atenção e para a sua energia é, justamente, ficar esgotado. Tão sem energia, tão sem foco e tão sem paciência que você termina nunca dando o norte para a sua própria vida. Você é consumido pelos outros e pelos altos e baixos da própria vida como uma vela de navio que responde de acordo com a direção do vento que está soprando.

Eu quero que você dê a direção para o seu próprio navio, meu bem. Administrando todas as instâncias diferentes sem tirar o olho do leme. Tomando as decisões que só você pode tomar e, enquanto isso, tendo a ajuda da organização para manter todos os pratinhos no ar tranquilamente.

Acredite em mim: é difícil, mas vale à pena. Vale muito à pena.

 

Ter foco não é abrir mão: é saber criar uma sequência de prioridades

Eu não sei você, mas a ideia de precisar abrir mão de uma coisa para me concentrar em outra sempre me assusta e me angustia. Tipo aquele pensamento que te diz que você deveria estar evoluindo igualmente e constantemente em todas as áreas da sua vida, sabe?

É uma sensação – irreal e radical, mas forte – que a gente precisa fazer tudo agora e tudo ao mesmo tempo, senão alguma merda acontece. Senão a gente vai ficar pra trás. Senão a gente perde tesão no nosso projeto.

Senão a gente nunca mais vai ter tempo para fazer aquilo. Eu não sei exatamente o que a voz de dentro da sua cabeça te diz, mas qualquer impulso que tenta te convencer que você deveria estar dando conta de tudo ao mesmo tempo está mentindo e está sendo tirânico. Manda ele catar coquinho, por favor.

Nada disso é verdade.

Como pessoa multipotencial e multiapaixonada (que nunca vai ser conhecida por ser A Especialista em um único assunto, sem nunca estudar ou criar coisas “fora” da sua área de especialidade), eu te digo com toda a certeza: ter uma prioridade clara é o que te permite fazer coisas diferentes sem perder o juízo.

É tão fácil se perder no Desfiladeiro dos Múltiplos Projetos e nunca mais encontrar o caminho de volta. Muito fácil mesmo, cara. E entre ser megalomaníaca e me deixar tiranizar pelas minhas próprias expectativas irrealistas e ser uma pessoa que realmente consegue finalizar os seus projetos com graça, tranquilidade e segurança, eu fico com a segunda opção sem titubear.

Quando você tem uma prioridade clara, você se conecta com o seu momento presente.

É uma forma meditativa de encarar a vida.

A sua prioridade de hoje (a vida profissional, os seus filhos, a sua empresa, a sua vida espiritual ou a sua alimentação, por exemplo) pode não ser mais a prioridade da semana que vem e está tudo bem.

A vida é assim mesmo, pequeno gafanhoto: as coisas mudam. As coisas mudam muito rápido, geralmente com mais agilidade do que a nossa cabeça consegue acompanhar. E ter uma prioridade clara não significa abrir mão das suas ambições. Tampouco significa esquecer as suas outras responsabilidades.

Significa, simplesmente, que você sabe o que é mais importante para você agora e que você está indo atrás de criar as melhores condições possíveis para conquistar isso antes de partir pro próximo objetivo. Você está se concentrando em começar, desenvolver e finalizar um pequeno punhado de projetos que vão te fazer evoluir exatamente na esfera da vida que é mais importante para você nesse exato momento.

Amanhã você vai ter tempo de fazer mais coisas.

Quanto mais você assume o seu próprio poder de criar e direcionar a sua vida, melhores as coisas ficam. Você conquista os seus objetivos mais rápido, a sua autoestima aumenta, você recolhe os resultados positivos dos seus esforços em menos tempo e pode fazer todas as tarefas com mais qualidade. Criar essa sequência de projetos importantes é o próprio ato de se organizar a médio prazo.

Atenção constante e reavaliação perene, sim.

Quem disse que ter uma vida autêntica ia ser fácil? Mas como eu disse lá em cima, o que você ganha é muito maior do que o que você perde. E o prêmio máximo desse estilo de vida é poder entrar em um estado de flow com muito mais facilidade. Ou seja: liberar a sua atenção para a sua tarefa atual e saber, lá no fundo, que você está fazendo exatamente o que você mais quer ou o que você mais precisa fazer.

 

Ser multitarefa é um mito

Um mito muito bem estabelecido e quase creditado como verdade, mas um mito ainda assim. É claro que, por um lado, é legal estar cercado de estímulos. Eu não quero que você entre em uma paranóia de se forçar a viver que nem um monge nas montanhas, se você não quiser. Isso é praticamente impossível de se fazer hoje em dia, também. A gente vive cercado de informações, de pessoas pedindo coisas e de oportunidades diversas batendo na nossa porta – e tudo bem, né. É a vida.

Mas daí a dizer que você consegue dar conta de fazer dez coisas diferentes ao mesmo tempo sem abrir mão da qualidade do que você está fazendo é demais. Aí é exagero. E quanto mais a gente sabe qual é a nossa Prioridade Número Um (ou as nossas Duas Únicas Prioridades, caso você não consiga se decidir numa só), mais a gente consegue saber, de antemão, quais são as tarefas mais importantes do nosso dia.

E quando o planejamento diário é mais intuitivo e menos inchado de tarefas díspares, mais a sua linda mente e a sua divina inteligência conseguem se concentrar nas tarefas que estão nas suas mãos. A gente perde muita energia quando a gente troca de foco a cada cinco minutos.

Muito mesmo, para cacete. Toda vez que você deixa de se concentrar em uma coisa para se concentrar em outra o seu foco fica mais fraco. E isso, por um lado, é normal de acontecer. Uma pequena quantidade disso ao longo do dia, ou ao longo do trabalho, é um efeito colateral natural do fato de você estar vivo e precisar lidar com outras pessoas. Mas quando você senta a bunda pra trabalhar de manhã, ou quando chega em casa de noite e vai dar atenção para o seu projeto paralelo, você consegue ficar pelo menos meia hora fazendo a mesma coisa sem perder o foco? Trinta minutos fazendo apenas uma única tarefa.

Olha que sonho.

Depois de quarenta e cinco minutos bem concentrados você tira uns dez minutos de pausa, vai beber uma água ou brincar com o seu cachorro e depois volta para o que você estava fazendo. Repita esse ciclo três vezes e aí você pode tirar uma pausa maior e se dar quarenta ou cinquenta minutos de lazer.

Só aí já foi boa parte da sua manhã e você teve um generoso bloco de tempo de duas ou três horas para se concentrar em umas poucas tarefas. Que tarefas foram essas? Qual é o projeto mais importante da sua vida atualmente e que merece receber o melhor da sua atenção matinal?

Quanto mais clareza você tem do que você quer e quanto mais espaço você fizer no seu momento presente, no seu hoje, para criar e ir atrás do que é de fato relevante pra você, mais rápido você vai ter a vida que você mais quer. Mais rápido você vai errar, mais rápido você vai aprender e mais tranquilidade você vai injetar nos seus dias. Ganho atrás de ganho sem um efeito colateral pra contar história, meu bem.


 

PRA CONTINUAR APRENDENDO, COLA NUM DESSES TEXTOS AI Ó. SÓ TEM IDEIA BOA:

 

comentários? dúvidas? sugestões?